Diário Contemporâneo abre exposições e comemora marca de cinco anos

Share This:

Por: Debb Cabral

O feriado que precedeu a abertura das exposições da 5º edição do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia foi de trabalho intenso. A presença dos artistas premiados Diego Bresani e Yukie Hori; dos selecionados Rafael D’Alo, Letícia Lampert, Pedro Clash e Ivan Padovani de fora do estado, além dos fotógrafos paraenses foi fundamental para deixar uma marca no processo que é a realização de um projeto como o Diário Contemporâneo.

Foto: Irene Almeida

Os cinco anos de premiação, deixaram nos espaços expositivos obras que foram incorporadas aos acervos e, que agora tomam corpo como coleção. “Conversando com o Mariano e a equipe, chegamos à conclusão de que o Prêmio deveria permanecer no acervo da Casa de uma maneira mais significativa. Já que ao longo dos anos, das edições anteriores, o Prêmio generosamente cedeu a Casa as obras premiadas, e pensamos juntos na possibilidade de fazer com que dentro do acervo da Casa das 11 Janelas criássemos um fundo do Diário Contemporâneo. Eu acho que isso representa um ganho para a Casa e especialmente também, para o Prêmio, porque poderemos contar, futuramente, a memória do Prêmio”, comentou Armando Queiroz, diretor do Espaço Cultural Casa das 11 Janelas.

“A coleção Prêmio Diário vai abrigar não só a coleção que já viemos formando ao longo desses cinco anos, como também se tornar disponível para que os artistas possam nos oferecer obras. Essa ação, sem duvida, vai favorecer ainda mais a arte, uma noticia que nos agrada muito”, afirmou Jussara Derenji, diretora do Museu da UFPA.

Foto: Debb Cabral

O número recorde de inscrições e a formação das coleções nos espaços expositivos são o resultado de um trabalho constante, como observou o curador do projeto, Mariano Klautau Filho: “importante é chegar à quinta edição, e a gente chegou à quinta edição com muito esforço, mas também com um ótimo saldo positivo, porque o projeto tem sido comentado, discutido e está no circuito. Os 518 inscritos é o resultado disso, e também porque o projeto estabelece um dialogo com a produção brasileira, ganhando um respeito muito grande no circuito da arte, entre os artistas e pesquisadores de arte”.

A “Mostra dos artistas premiados e selecionados”, no Espaço Cultural Casa das 11 Janelas; e as exposições “Cidade Invisível”, de Janduari Simões; e “Pequenas cartografias (e duas performances)”, com trabalhos de Marise Maués, Michel Pinho, Cinthya Marques, Rodrigo José, Marco Santos e Luciana Magno; no MUFPA, seguem com visitação até o dia 22 de junho de 2014. A entrada é franca.

Criado em 2010, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é um projeto nacional que incentiva a cultura, a arte e a linguagem fotográfica em toda a sua diversidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *