O registro da memória foi destaque no lançamento do catálogo do V Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia

Share This:

Por: Debb Cabral

A noite da quinta-feira (18) foi marcada pelo encerramento das atividades do 5ª Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, com o lançamento da sua publicação e pelo lançamento do edital de 2015 do projeto.

O Museu da Universidade Federal do Pará foi o local da realização do evento. Desde 2010, o Diário Contemporâneo estabelece diálogo entre a produção local e nacional, consolidando o Pará como lugar de reflexão e criação em artes. O projeto, ao longo de cinco anos, recebeu um número cada vez mais crescente de inscrições e propostas artísticas.

Foto: Celso Rodrigues/DOL

Jussara Derenji, diretora do Museu da UFPA, ressaltou que em 2015 o espaço completará 30 anos de atividades. Segundo ela, “os registros que estão sendo feitos pelo Prêmio, são muito importantes pra nós, porque tem uma continuidade dentro da nossa história”.

O MUFPA, não tinha uma vocação para fotografia e a parceria com o Diário Contemporâneo contribuiu para a mudança necessária. “Nós recebemos a memória fotográfica da universidade, mas ainda era um registro institucional. Quando começamos a trabalhar com o Prêmio, aí sim, nós começamos a formar uma tradição na fotografia, e agora nós temos a formação especifica da coleção Prêmio Diário de Fotografia”, acrescentou.

O projeto busca se ampliar a cada ano e, em 2014, com o tema livre, foi revelada uma diversidade impressionante e nunca antes vista. “Esse registro fotográfico é o registro da história, da nossa memória”, afirmou Paulo Ivan Campos, gerente de relacionamento e comunicação da Vale.

Antônio Carlos Maziviero, gerente de marketing do Shopping Pátio Belém ressaltou, que “o catálogo é o que fica, é o que indica que outras gerações, no futuro terão acesso a essa memória”.

A publicação reúne imagens das três exposições realizadas pelo projeto “Mostra V Prêmio Diário Contemporâneo”, “Cidade Invisível” e “Pequenas cartografias (e duas performances)” – totalizando a participação de 37 artistas de todo o Brasil. O catálogo é constituído, também, dos textos críticos de Rubens Fernandes Junior, Alexandre Santos, Marisa Mokarzel e Mariano Klautau Filho, curador do projeto.

Camilo Centeno, diretor geral da RBA, lembrou que “a mostra do ano passado permitiu que nós tivéssemos um passeio por diversos temas e foi uma das mais completas e provocativas exposições que já tivemos”.

Pesquisa e formação em artes foram as escolhas do projeto, que aliadas a qualidade gráfica do catálogo o tornaram um excelente difusor do Diário Contemporâneo em todo o Brasil.

“O catalogo é a peça mais concreta do projeto, pois abriga imagens de todos os artistas participantes, somados aos textos dos pesquisadores e à memória de toda a programação de cada edição”, disse Mariano Klautau Filho, que não pôde estar presente e teve as suas palavras lidas por Camilo.

6ª edição – A noite marcou também a início das inscrições para a edição de 2015 do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia que ficarão abertas para todo o país até 14 de fevereiro de 2015. Com o objetivo de incentivar a cultura, a arte e a linguagem fotográfica em toda a sua diversidade, a 6ª edição traz o tema “Tempo Movimento”, que busca encontrar obras que estabeleçam dinâmicas de mobilidade da imagem, seja ela fixa ou em movimento, seja congelando ou expandindo a ideia de tempo.

O Edital e a Ficha de Inscrição estão presentes no site www.diariocontemporaneo.com.br.

Aberto a todos os artistas brasileiros ou residentes no país, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio do Shopping Pátio Belém e Vale, apoio institucional da Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *