Lívia Aquino inaugura a programação de palestras do VI Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia

Share This:

Por: Debb Cabral

A primeira palestra da programação da 6ª edição do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia ficará por conta da fotógrafa e pesquisadora no campo da imagem, Lívia Aquino, com “Enunciados de um mundo-imagem [ou o que poderia ser um selfie de todos nós]”. O evento ocorre nessa quinta-feira (26), às 19h, no auditório do Centro Cultural Brasil-Estados Unidos (CCBEU). A entrada é franca.

Lívia integra o júri dessa edição do projeto ao lado da curadora, crítica e pesquisadora em artes, Marisa Mokarzel e da artista e pesquisadora em artes, Val Sampaio. Ela vem debater em sua palestra a nossa percepção do mundo através da imagem.

Altamente relacionada com a modernidade, a fotografia encontrou formas de acompanhar as diversas mudanças sociais, principalmente se firmando como parte de seus rituais, como é o caso do turismo. A câmera fotográfica diversifica a experiência da viagem e de certa forma intervêm no comportamento do viajante. Ela constrói uma percepção de realidade que cada vez mais vai se tornando a nossa percepção cotidiana.

Segundo Lívia, “a partir dos anos 1980, alguns artistas começam a problematizar o turismo nessa relação com a fotografia, apontando questões sobre o conteúdo e as formas de ver, a serialização, o esgotamento, a posse e a pose. Nota-se nessa perspectiva um processo de reconhecimento e registro de tensões entre os dois campos, bem como um exercício critico acerca das imagens ao deslocá-las no tempo e no espaço de seus usos, restituindo enunciados dos modos de operação da fotografia, principalmente aquela feita por amadores, e produzindo nova percepção e subjetivação da experiência da viagem”.

Foto: Corinne Vionnet

Uma dessas artistas a qual Lívia se refere é a suíça Corinne Vionnet, que para a série “Photo Opportunities” recolhe na internet centenas de fotografias produzidas por turistas e reúne tudo em uma única imagem. “Porém, quando superpõe as fotografias, Vionnet tira a opacidade de cada uma e faz com que as camadas apareçam sutilmente de modo a criar uma nova imagem. O aspecto quase onírico do desfoque gerado com as sobreposições coloca o monumento em suspensão, como se flutuasse no espaço que se reconhece de antemão por tantas outras fotografias vistas 6 em cartões postais e guias turísticos como as do Taj Mahal, das pirâmides do Egito, da Sagrada Família ou do Coliseu”, acrescenta Lívia.

Vionnet se apropria e dá novo significado àquelas imagens de massa, mas ainda há de se observar que a matéria-prima para um trabalho como esse é justamente a evidência do clichê, da repetição e da uniformização da experiência do viajante que se torna nada mais do que um acumulador de imagens. A fotografia é a prova de um programa que foi meticulosamente cumprido e um roteiro fácil para a nossa memória. Viver a experiência seria igual a olhar a foto dela.

A palestra será uma reflexão que evidencia um amplo sentido para o fotográfico no modo de vida contemporâneo, apontando um hibridismo tanto entre os sujeitos dessa história como pelos meios utilizados para se fazer o que ainda pode ser nomeado como fotografia.

Criado em 2010, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é um projeto nacional que incentiva a cultura, a arte e a linguagem fotográfica em toda a sua diversidade. O projeto não se restringe à premiação, ele incentiva a educação e a pesquisa com uma programação de palestras, encontros com artistas, oficinas e atividade educativa com as escolas.

Lívia Aquino

Mestre em Multimeios e doutora em Artes Visuais pela Universidade de Campinas (Unicamp). Coordena e leciona na Pós-graduação em Fotografia da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP-SP). Participou de exposições no Centro Cultural São Paulo (CCSP), no Centro Cultural da Caixa, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, na Fototeca de Cuba em Havana e na mostra Descubrimientos no Festival PhotoEspaña, em Madri. Em 2003, ganhou o Prêmio Porto Seguro Revelação. Edita o blog Dobras Visuais.

Confirme presença no evento AQUI

SERVIÇO: Lívia Aquino inaugura a programação de palestras do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia. Data: 26 de fevereiro de 2015. Horário: 19h. Local: Auditório do Centro Cultural Brasil-Estados Unidos – CCBEU. Endereço: Travessa Padre Eutíquio, 1309 – Batista Campos. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio do Shopping Pátio Belém e Vale, apoio institucional da Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 8367-2468; contato@diariocontemporaneo.com.brpremiodiario@gmail.comhttp://www.diariocontemporaneo.com.br.

Hoje é o último dia para se inscrever no Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia

Share This:

Por: Debb Cabral

Abertas em dezembro de 2014, as inscrições para a 6ª edição do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia encerram hoje, e o candidato interessado tem até às 18h para entregar seu dossiê na sede do projeto que fica localizada na Rua Aristides Lobo, 1055, bairro do Reduto.  No site www.diariocontemporaneo.com.br estão as informações completas. Hoje também é a data limite de postagem para os trabalhos enviados via serviços de correio expresso (Sedex).

Criado em 2010, o edital é aberto a todos os artistas brasileiros ou residentes no país, e oferece três prêmios no valor de R$ 10.000,00 cada. Ele não se restringe somente à premiação, e incentiva a educação e a pesquisa com uma programação formativa e educativa com as escolas, ações que acontecem nos espaços expositivos dos parceiros Casa das Onze Janelas e Museu da UFPA.

Revelador H2O2, de Alex Sandro Oliveira

O Diário Contemporâneo tem o objetivo de contribuir na ampliação do espaço para a produção fotográfica nacional consolidando o Pará como lugar de reflexão e criação das artes da imagem.

Este ano, o tema Tempo Movimento traz como objetivo abrir espaço para propostas em fotografia, vídeo, instalações, projeções e trabalhos que misturam suportes.

Experimentação é a palavra. Através dela, as linguagens fortalecem sua intersecção e amadurem, ganhando formas novas.

Os avanços tecnológicos intensificaram a convergência entre o cinema e a fotografia. Limites tem sido ultrapassados e isso afeta a imagem fixa e a imagem em movimento.

A fotografia digital, bem como a internet possibilitam que muitas vezes o expectador acompanhe o que está acontecendo em “tempo real”, sensação nos proporcionada pelo cinema. Este, por outro lado, tem se constituído cada vez mais de pausas e silêncios para a absorção do pensamento.

O Diário Contemporâneo selecionará e premiará obras que estabeleçam dinâmicas de mobilidade da imagem, seja ela fixa ou em movimento, seja congelando ou expandindo a ideia de tempo.

EDITAL

Os dossiês inscritos deverão conter: portfólio com as imagens da série proposta para o Prêmio, sendo uma série de no mínimo oito e no máximo doze imagens de até de 24×30cm cada uma; breve apresentação sobre o trabalho com no máximo quinze linhas; currículo resumido; dados técnicos de montagem, formato e dimensões para apresentação da obra, segundo suas especificidades.

Ao se inscrever o candidato concorre livremente a qualquer um dos prêmios de acordo com a sua linha de trabalho: Prêmio Tempo Movimento, destinado a todos os artistas selecionados que apresentem trabalhos de abordagem documental, voltados ao cotidiano – região, paisagem ou comunidade – ou originados de um projeto específico de documentação; Prêmio Diário Contemporâneo, destinado a todos os artistas selecionados cujo trabalho fotográfico apresente relações com outras linguagens e suportes – instalação, vídeo, objeto, performance, ou que ainda proponha novas sintaxes na representação fotográfica; e Prêmio Diário do Pará, destinado somente a fotógrafos paraenses e/ou residentes atuantes no Pará por pelo menos três anos, este prêmio abrange todas as poéticas e propostas conceituais.

A comissão de seleção e premiação desta 6ª edição será composta pela fotógrafa e pesquisadora no campo da imagem, Lívia Aquino; Marisa Mokarzel curadora, crítica e pesquisadora em Artes; e Val Sampaio, artista e pesquisadora em Artes.

Será oferecida, também, uma ajuda de custo aos artistas selecionados para a produção de suas obras no valor de até R$ 1.200,00. A mostra coletiva com os trabalhos dos artistas selecionados e premiados será realizada nas salas Valdir Sarubi, Sala Gratuliano Bibas e Laboratório das Artes do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, em Belém.

SERVIÇO: Hoje é o último dia para se inscrever no Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia. Edital e Ficha de Inscrição no site http://www.diariocontemporaneo.com.br.  Realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio do Shopping Pátio Belém e Vale, apoio institucional do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 8367-2468 e premiodiario@gmail.com.

Diário Contemporâneo prorroga inscrições até 20 de fevereiro

Share This:

Por: Debb Cabral

O candidato interessado tem, agora, até o dia 20 de fevereiro (sexta-feira) para inscrever seu dossiê na 6ª edição do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia. Para os trabalhos enviados via serviços de correio expresso (Sedex) essa é a nova data limite de postagem. Criado em 2010, o edital é aberto a todos os artistas brasileiros ou residentes no país, e oferece três prêmios no valor de R$ 10.000,00 cada. No site www.diariocontemporaneo.com.br estão as informações completas.

Foto: Marco Santos/Diário do Pará

Este ano, o tema Tempo Movimento traz como objetivo abrir espaço para propostas em fotografia, vídeo, instalações, projeções e trabalhos que misturam suportes. O projeto selecionará e premiará obras que estabeleçam dinâmicas de mobilidade da imagem, seja ela fixa ou em movimento, seja congelando ou expandindo a ideia de tempo.

Desde que eram somente mídias analógicas, a fotografia e o cinema sempre foram referências conceituais mútuas, porém, com explosão da tecnologia digital, uma convergência dessas mídias fez com que o processo se acentuasse. Vemos hoje uma forte aproximação da linguagem fotográfica com a audiovisual, decorrente das transformações da tecnologia fotográfica e cinematográfica.

A diferença entre as mídias, suas individualidades e suas identidades lhes empurraram para um sistema de parceria, no qual algo que uma linguagem não tenha em sua natureza, é facilmente absorvido da outra, se complementando.

Se formam narrativas visuais mais fluidas, de caráter multimídia, principalmente com a elasticidade de uma imagem digital. São múltiplos os recursos imagéticos.

O Diário contemporâneo busca receber trabalhos assim, pois ele próprio tem um caráter múltiplo quando visa não somente expor trabalhos artísticos, mas se relacionar com o público em diferentes aspectos. “Tenho certeza que o Diário Contemporâneo não existiria se a cidade de Belém não tivesse uma produção fotográfica constituída. A contribuição do projeto seria ampliar a noção de fotografia dentro da arte, promover uma reflexão por meio das palestras, oficinas e cursos, ao reunir pesquisadores de Belém e de outras regiões do Brasil durante a programação. Mas é muito importante que se diga que a contribuição também se expande para o Brasil. É uma contribuição de Belém para a produção e pesquisa sobre fotografia brasileira já que o projeto faz circular a produção de artistas de todas várias regiões”, ressaltou Mariano Klautau Filho, curador do Projeto.

Ao não se restringir somente à premiação, ele incentiva a educação e a pesquisa com uma programação formativa e educativa com as escolas, ações que acontecem nos espaços expositivos dos parceiros Casa das Onze Janelas e Museu da UFPA. “A nossa ação educativa com as escolas e com o público em geral mediada pelos monitores vem sendo melhor estruturada a cada ano. Isso é um diferencial para que o público entenda como a fotografia se expandiu e como ela funciona como trabalho artístico. E repito: isso também só é possível porque temos uma cidade com experiência de produção, pesquisa e interesse em fotografia”, acrescenta Mariano.

EDITAL

Os dossiês inscritos deverão conter: portfólio com as imagens da série proposta para o Prêmio, sendo uma série de no mínimo oito e no máximo doze imagens de até de 24×30cm cada uma; breve apresentação sobre o trabalho com no máximo quinze linhas; currículo resumido; dados técnicos de montagem, formato e dimensões para apresentação da obra, segundo suas especificidades. O endereço de entrega e envio é a sede do VI Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, que fica localizada na Rua Aristides Lobo, 1055, bairro do Reduto.

Ao se inscrever o candidato concorre livremente a qualquer um dos prêmios de acordo com a sua linha de trabalho, não havendo hierarquia na premiação.

É necessário que o dossiê reflita a proposta do artista, “entendo que o que conta é a unidade das obras apresentadas, a adequação da proposta de acordo com o edital do projeto. Enfim, clareza e objetividade naquilo que se propõe a apresentar para análise da comissão.  O artista deve apresentar um trabalho que tenha um material coerente, principalmente com o que quer, e linear sem perder o foco principal da sua proposta”, lembra Irene Almeida, produtora e assistente de curadoria do Projeto.

A comissão de seleção e premiação desta 6ª edição será composta pela fotógrafa e pesquisadora no campo da imagem, Lívia Aquino; Marisa Mokarzel curadora, crítica e pesquisadora em Artes; e Val Sampaio, artista e pesquisadora em Artes.

Serão selecionados no máximo vinte e cinco artistas, incluindo os três premiados; todos participarão da Mostra VI Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, que ocorrerá no período de 22 de abril a 22 de junho, na Casa das Onze Janelas.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo inscreve até 20 de fevereiro. Edital e Ficha de Inscrição no site http://www.diariocontemporaneo.com.br.  Realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio do Shopping Pátio Belém e Vale, apoio institucional do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 8367-2468 e premiodiario@gmail.com.

Catálogo da 5ª edição tem download gratuito

Share This:

Por: Debb Cabral

Lançado em dezembro do ano passado, catálogo da 5ª edição do projeto Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia está disponível online para baixar gratuitamente no site www.diariocontemporaneo.com.br

A publicação traz o resultado da 5ª edição, realizada em 2014, e que premiou Alberto Bitar (PA), Diego Bresani (DF), e Yukie Hori (SP). Reunindo imagens das três exposições realizadas pelo projeto “Mostra V Prêmio Diário Contemporâneo”, “Cidade Invisível”, do artista convidado Janduari Simões e “Pequenas cartografias (e duas performances)”; e totalizando a participação de 37 artistas de todo o Brasil.

Destacam-se também os textos críticos “Fotografia: campos de expansão”, de Rubens Fernandes Junior; “Imagem, registro, poética”, resultado de uma entrevista do fotógrafo Janduari Simões com público, ocorrida no MUFPA; “Para que serve uma imagem fotográfica?”, de Alexandre Santos, além de textos de Marisa Mokarzel e Mariano Klautau Filho, curador do projeto.

Os catálogos das outras edições também se encontram disponíveis no site do Diário Contemporâneo.

6ª edição – As inscrições para a edição de 2015 do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia estão abertas para todo o país até 14 de fevereiro de 2015. Com o objetivo de incentivar a cultura, a arte e a linguagem fotográfica em toda a sua diversidade, a 6ª edição traz o tema “Tempo Movimento”, que busca encontrar obras que estabeleçam dinâmicas de mobilidade da imagem, seja ela fixa ou em movimento, seja congelando ou expandindo a ideia de tempo.

O Edital e a Ficha de Inscrição estão presentes no site www.diariocontemporaneo.com.br.

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio do Shopping Pátio Belém e Vale, apoio institucional da Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA).

Por dentro do Edital

Share This:

Por: Debb Cabral

Em 2015 o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia realiza a sua 6ª edição. O projeto ganhou força e já entrou para o calendário de grandes editais nacionais. O Diário Contemporâneo incentiva a cultura, arte e linguagem fotográfica em toda a sua diversidade, e a educação e a pesquisa com uma programação de palestras, encontros com artistas, oficinas e atividade educativa com as escolas. As inscrições do 6º Prêmio já estão abertas desde o dia 19 de dezembro e seguirão até 14 de fevereiro de 2015.

Com o tema Tempo Movimento, o objetivo desta edição é abrir espaço para propostas em fotografia, vídeo, instalações, projeções e trabalhos que misturam suportes.

Foto: Irene Almeida
Foto: Irene Almeida

As percepções em relação à imagem foram desdobradas, como observou Mariano Klautau Filho, curador do projeto: “atualmente, já no contexto dos processos digitais no qual a mistura entre cinema, vídeo e fotografia trabalha a favor das narrativas pessoais, das pequenas histórias e ainda da reconfiguração descritiva da vivência social, os artistas da imagem utilizam a fotografia como experiência de um tempo que dura”.

Tempo, movimento, narrativa, sequência. “Na medida em que o cinema avança, a fotografia vai buscar no exercício da série um alimento necessário, utilizando-se desse aspecto para narrar acontecimentos e ampliar a noção de realidade”, conclui Mariano.

O projeto selecionará e premiará obras que estabeleçam dinâmicas de mobilidade da imagem, seja ela fixa ou em movimento, seja congelando ou expandindo a ideia de tempo.

O Diário Contemporâneo tem o objetivo de contribuir na ampliação do espaço para a produção fotográfica nacional consolidando o Pará como lugar de reflexão e criação das artes da imagem. Aberto a todo o território nacional, podem se inscrever os artistas brasileiros ou estrangeiros residentes no país há mais de três anos. Ao se inscrever o candidato concorre livremente a qualquer um dos prêmios de acordo com a sua linha de trabalho, não havendo hierarquia na premiação.

Os dossiês inscritos deverão conter: portfólio com as imagens da série proposta para o Prêmio, sendo uma série de no mínimo oito e no máximo doze imagens de até de 24×30cm cada uma; breve apresentação sobre o trabalho com no máximo quinze linhas; currículo resumido; dados técnicos de montagem, formato e dimensões para apresentação da obra, segundo suas especificidades. O endereço de entrega e envio é a sede do VI Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, que fica localizada na Rua Aristides Lobo, 1055, bairro do Reduto.

Público observando as imagens de Diego Bressani durante a abertura da exposição. Foto: Irene Almeida

O JURI

A comissão de seleção desse ano será formada pela fotógrafa e pesquisadora no campo da imagem, Lívia Aquino, mestre em Multimeios, doutora em Artes Visuais pela Universidade de Campinas (Unicamp), coordena e leciona na Pós-graduação em Fotografia da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP-SP), além de editar o blog Dobras Visuais; Marisa Mokarzel curadora, crítica e pesquisadora em Artes, professora do Mestrado em Comunicação, Linguagens e Cultura e dos cursos de Artes Visuais e Moda, da Universidade da Amazônia (UNAMA), mestre em História da Arte pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará, ela atua em comissões e projetos de curadoria no Brasil, e recentemente publicou o livro “Navegante da Luz” sobre o trabalho de Miguel Chikaoka que foi o artista homenageado da 3ª edição do Diário Contemporâneo; e Val Sampaio, artista e pesquisadora em Artes, professora da Universidade Federal do Pará, na Faculdade de Artes Visuais, mestre e doutora em Comunicação e Semiótica (PUC/SP) e Pós-Doutorado em Poéticas Digitais (ECA/USP), e que também coordena o Grupo de Estudo Territórios Híbridos, em arte e tecnologia.

Serão selecionados no máximo vinte e cinco artistas, incluindo os três contemplados com os prêmios no valor de R$ 10.000,00 cada, de acordo com as seguintes linhas de trabalho: Prêmio Tempo Movimento, destinado a todos os artistas selecionados que apresentem trabalhos de abordagem documental, voltados ao cotidiano – região, paisagem ou comunidade – ou originados de um projeto específico de documentação; Prêmio Diário Contemporâneo, destinado a todos os artistas selecionados cujo trabalho fotográfico apresente relações com outras linguagens e suportes – instalação, vídeo, objeto, performance, ou que ainda proponha novas sintaxes na representação fotográfica; e Prêmio Diário do Pará, destinado somente a fotógrafos paraenses e/ou residentes atuantes no Pará por pelo menos três anos, este prêmio abrange todas as poéticas e propostas conceituais.

Será oferecida, também, uma ajuda de custo aos artistas selecionados para a produção de suas obras no valor de até R$ 1.200,00. A mostra coletiva com os trabalhos dos artistas selecionados e premiados será realizada nas salas Valdir Sarubi, Sala Gratuliano Bibas e Laboratório das Artes do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, em Belém. O projeto inclui, em sua programação, a participação de um artista especialmente convidado para a edição, cuja mostra será apresentada no Museu da Universidade Federal do Pará, instituição parceira. Para o mesmo museu, está programada, também, uma mostra especial reunindo a produção recente de artistas paraenses com trabalhos selecionados pela curadoria do projeto.

Além das mostras expositivas, o Diário Contemporâneo é constituído por palestras, encontros com artistas, oficinas e atividades de arte educação. Essas atividades ocorrerão nos meses de março a junho de 2015.

O projeto publicará na edição seguinte a esta o catálogo das imagens dos trabalhos selecionados e premiados e ensaio do artista convidado. A publicação incluirá também textos críticos, artigos e entrevistas.

O Edital e a Ficha de Inscrição estão presentes no site www.diariocontemporaneo.com.br.

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio do Shopping Pátio Belém e Vale, apoio institucional da Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA).

SERVIÇO: VI Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia já está com inscrições abertas. Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 8367 -2468; premiodiario@gmail.comhttp://www.diariocontemporaneo.com.br.

O registro da memória foi destaque no lançamento do catálogo do V Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia

Share This:

Por: Debb Cabral

A noite da quinta-feira (18) foi marcada pelo encerramento das atividades do 5ª Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, com o lançamento da sua publicação e pelo lançamento do edital de 2015 do projeto.

O Museu da Universidade Federal do Pará foi o local da realização do evento. Desde 2010, o Diário Contemporâneo estabelece diálogo entre a produção local e nacional, consolidando o Pará como lugar de reflexão e criação em artes. O projeto, ao longo de cinco anos, recebeu um número cada vez mais crescente de inscrições e propostas artísticas.

Foto: Celso Rodrigues/DOL

Jussara Derenji, diretora do Museu da UFPA, ressaltou que em 2015 o espaço completará 30 anos de atividades. Segundo ela, “os registros que estão sendo feitos pelo Prêmio, são muito importantes pra nós, porque tem uma continuidade dentro da nossa história”.

O MUFPA, não tinha uma vocação para fotografia e a parceria com o Diário Contemporâneo contribuiu para a mudança necessária. “Nós recebemos a memória fotográfica da universidade, mas ainda era um registro institucional. Quando começamos a trabalhar com o Prêmio, aí sim, nós começamos a formar uma tradição na fotografia, e agora nós temos a formação especifica da coleção Prêmio Diário de Fotografia”, acrescentou.

O projeto busca se ampliar a cada ano e, em 2014, com o tema livre, foi revelada uma diversidade impressionante e nunca antes vista. “Esse registro fotográfico é o registro da história, da nossa memória”, afirmou Paulo Ivan Campos, gerente de relacionamento e comunicação da Vale.

Antônio Carlos Maziviero, gerente de marketing do Shopping Pátio Belém ressaltou, que “o catálogo é o que fica, é o que indica que outras gerações, no futuro terão acesso a essa memória”.

A publicação reúne imagens das três exposições realizadas pelo projeto “Mostra V Prêmio Diário Contemporâneo”, “Cidade Invisível” e “Pequenas cartografias (e duas performances)” – totalizando a participação de 37 artistas de todo o Brasil. O catálogo é constituído, também, dos textos críticos de Rubens Fernandes Junior, Alexandre Santos, Marisa Mokarzel e Mariano Klautau Filho, curador do projeto.

Camilo Centeno, diretor geral da RBA, lembrou que “a mostra do ano passado permitiu que nós tivéssemos um passeio por diversos temas e foi uma das mais completas e provocativas exposições que já tivemos”.

Pesquisa e formação em artes foram as escolhas do projeto, que aliadas a qualidade gráfica do catálogo o tornaram um excelente difusor do Diário Contemporâneo em todo o Brasil.

“O catalogo é a peça mais concreta do projeto, pois abriga imagens de todos os artistas participantes, somados aos textos dos pesquisadores e à memória de toda a programação de cada edição”, disse Mariano Klautau Filho, que não pôde estar presente e teve as suas palavras lidas por Camilo.

6ª edição – A noite marcou também a início das inscrições para a edição de 2015 do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia que ficarão abertas para todo o país até 14 de fevereiro de 2015. Com o objetivo de incentivar a cultura, a arte e a linguagem fotográfica em toda a sua diversidade, a 6ª edição traz o tema “Tempo Movimento”, que busca encontrar obras que estabeleçam dinâmicas de mobilidade da imagem, seja ela fixa ou em movimento, seja congelando ou expandindo a ideia de tempo.

O Edital e a Ficha de Inscrição estão presentes no site www.diariocontemporaneo.com.br.

Aberto a todos os artistas brasileiros ou residentes no país, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio do Shopping Pátio Belém e Vale, apoio institucional da Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA).

Seminário “Olhos de Assombro” debateu a necessidade da formação artística e cultural

Share This:

Por: Debb Cabral

Na ultima sexta-feira (27) foi realizada a ultima ação da 5ª edição do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia. O seminário educativo “Olhos de Assombro” reuniu estudantes de Artes Visuais, Museologia e funcionários de espaços culturais.

Entre os assuntos abordados estavam a mediação cultural e a importância de se atentar para as necessidades do outro. Essas ideias foram trabalhadas na forma de uma dinâmica, na qual, em duplas, um participante tinha os seus olhos vendados e precisaria da ajuda do outro para guia-lo e cuidar dele, num exercício de confiança.

Fotos: Debb Cabral

Das experiências com as visitas escolares, a Equipe do Educativo percebeu a necessidade de trabalhar o espaço do museu como um lugar que acrescente conteúdos diversos aos estudantes. É importante que educadores e alunos atentem para isso, bem como os espaços culturais. “O papel do museu é explorar os conteúdos da sala de aula”, observou Milena Claudino.

Adriele Silva, Coordenadora da Ação Educativa, ressaltou a importância da arte na educação. “É muito curioso perceber que o primeiro contato com a arte é um momento de encantamento. A questão é: como manter esse encantamento atrelado ao entendimento? Os conhecimentos estão acontecendo simultaneamente”, disse.

Foi unânime a conclusão de que o educador deve encarar o contato com a arte não como um exercício disciplinar, mas como um exercício de experimentação, trabalhando a percepção e a sensibilidade dos alunos. “Quando o professor para de pensar no tradicional e trabalha a experiência a turma tem muito mais a ganhar”, acrescentou Gladis Brito.

Estudante fez uma releitura da foto "Homens brigando na seca", da vencedora série "Ao Lado" de Diego Bresani

A ação encerrou com a ideia de que é necessário discutir os diferentes olhares e que trabalhar isso nas ações educativas é um processo importante de construção de significados.

Criado em 2010, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é um projeto nacional que incentiva a cultura, a arte e a linguagem fotográfica em toda a sua diversidade.

Diário Contemporâneo convida para bate-papo com Equipe do Educativo

Share This:

Por: Debb Cabral

Desconstruindo o formato tradicional de apresentações de seminários, uma roda de conversa entre o público e os comunicadores do educativo, intitulada “Olhos de Assombro”, debaterá os assuntos apresentados nos resumos de ação dos mediadores. Pretende-se compartilhar o processo de trabalho da Ação Educativa no 5º Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, mesclando as trocas entre teoria e prática. A mesa será constituída por André Vitor Silva Lima, Paula Fernanda Silva de Almeida, Silvia Cruz Peixoto, Vanessa Malheiro Moraes, Ala Lúcia dos Santos Ribeiro, tendo a mediação de Adriele Silva da Silva. O evento ocorre nessa sexta-feira (27), das 14 às 18h, no Museu da UFPA. A entrada é franca.

Abertura Mostra convidada V Prêmio Diário de Fotografia
Foto: Irene Almeida

Durante o período vivido nos espaços culturais (Casa das Onze Janelas e Museu da UFPA) os mediadores tiveram contato com diferentes tipos de público, diferentes obras fotográficas e diferentes leituras. A ação educativa é uma grande troca, e foi isso que os mediadores perceberam nesses dois meses de exposição. A cada nova escola que visitava as mostras, novas leituras e novos conceitos de artes eram trabalhados. No encontro com o público, a Equipe do Educativo mostrará, através da experiência deste ano, que a interação e inserção em diferentes contextos educacionais contribuem para o ensino e para uma vivência artística. A ação objetiva proporcionar um debate entre os estudantes de Artes Visuais, professores e educadores a sobre arte, fotografia, patrimônio e reflexões sobre a cultura. Um novo olhar sobre os espaços expositivos que possibilitaria uma maior interação e aproveitamento dos conteúdos educacionais proposto pelo educador a partir do Museu, espaço alternativo e complementar à escola. SERVIÇO: Diário Contemporâneo convida para bate-papo com Equipe do Educativo. Data: 27 de junho de 2014. Horário: 14 às 18h. Local: Museu da UFPA (Av. Governador José Malcher (esquina com Generalíssimo Deodoro). O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio do Shopping Pátio Belém e Vale, apoio institucional da Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática, Instituto de Artes do Pará (IAP) e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 8367 -2468; premiodiario@gmail.comhttp://www.diariocontemporaneo.com.br.

Horário de funcionamento dos espaços expositivos no feriado

Share This:

Casa das Onze Janelas
Quinta-feira: 10 as 14h
Sexta-feira: horário normal.
Museu da UFPA
Quinta-feira: 10 as 14h
Sexta-feira: normal.

Três perguntas para: Michel Pinho

Share This:

Por: Debb Cabral

A série “Patrimônio” de Michel Pinho, convidada para integrar a Mostra Especial “Pequenas cartografias (e duas performances)” nesta 5ª edição do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia apresenta  um relato sobre os campos de concentrações nazistas na Europa.

Confira a entrevista:

Forca de Auschwitz, Polônia. Foto: Michel Pinho

Debb Cabral – Tuas fotografias tem um caráter documental muito forte. Como que é apresentar um trabalho sobre política e história em um prêmio de arte?

Michel Pinho – O trabalho é uma reflexão sobre os espaços que marcaram o século XX, marcaram mesmo com arames, com cimento e dor. A fotografia nesse caso é uma tentativa de levantar uma discussão sobre o que queremos lembrar e o que queremos esquecer. O prêmio de arte é um espaço privilegiado para isso.

Debb Cabral – É uma série que é um questionamento sobre o estado de barbárie pelo qual a humanidade passou. Como falar isso através de imagens?

Michel Pinho – As imagens são reflexos de uma dor, de uma condição humana. Fiquei abalado alguns meses depois que voltei da Polônia, demorei para abrir os arquivos com as fotografias. Elas passaram a ser referência de um incomodo pessoal em relação a dor alheia. Sinto que elas me silenciam.

Debb Cabral – Este ano o Prêmio está completando cinco anos. Como você o avalia?

Michel Pinho – Vi o prêmio nascer, sinto-me honrado de ser convidado pela magnitude que ele ganhou nesses curto prazo. A fotografia paraense chegou em um nível de excelência tal que o prêmio diário é um dos seus maiores interlocutores. Vida longa.

A “Mostra dos artistas premiados e selecionados”, no Espaço Cultural Casa das 11 Janelas; e as exposições “Cidade Invisível”, de Janduari Simões; e “Pequenas cartografias (e duas performances)”, com trabalhos de Marise Maués, Michel Pinho, Cinthya Marques, Rodrigo José, Marco Santos e Luciana Magno; no MUFPA, seguem com visitação até o dia 22 de junho de 2014. A entrada é franca.