Verão nos Museus une música e imagem neste sábado

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo realiza neste sábado as últimas ações do Verão nos Museus. Às 10h, o projeto Vale Música se apresentará no Museu da UFPA e, às 18:30h, será a vez de Leo Venturieri e do Grupo Marapuama tocarem no Museu do Estado do Pará. Todas as programações têm entrada franca.

VALE MÚSICA

Grupo de Percussão de Câmara. Foto: Divulgação

O projeto tem como objetivo a formação musical de crianças e jovens da Região Metropolitana de Belém que estudam em escola pública ou são bolsistas de escolas particulares. A apresentação deste sábado será do Grupo de Percussão de Câmara. “É um trabalho bem interessante, porque ele sai um pouco daquela percussão que a gente está acostumada, baseada mais em tambores. Ela é uma percussão diferenciada, usando vários teclados, que normalmente são usados mais para a música erudita, só que em um formato voltado para a música popular”, explicou Isabel Boulhosa da Fundação Amazônica de Música.

LEO VENTURIERI

Leo Venturieri. Foto: Gabriel Silveira

O artista trabalha com vários estilos, incluindo música contemporânea, rock e música brasileira. Segundo ele, “a apresentação consistirá em uma exploração sonora através de ressonâncias e ambientações criadas por sintetizadores e geradores de ruído. Haverá a execução de um instrumento eletrônico em especial, o theremin, tocado no ar, sem contato do músico com o instrumento”.

MARAPUAMA

Grupo Marapuama. Foto: Gabriel Darwich

O duo instrumental é composto por Thiago Pires (guitarra) e Emannuel Penna (bateria). Eles trazem referências de estilos como orquestra, jazz, além de música paraense. O projeto inaugurou o Verão nos Museus e retorna agora para o encerramento da ação. Esta outra apresentação trará “repertório autoral instrumental, composto com sinceridade e furor”, contou Thiago.

PROGRAMAÇÃO

  • 28.09, às 10h – Vale Música – Museu da UFPA
  • 28.09, às 18:30h – Leo Venturieri e Grupo Marapuama – Museu do Estado do Pará

RETA FINAL

Esta é a última semana de visitação da mostra “Interseções, 2010/2019”, no Museu do Estado do Pará e Museu da UFPA, que segue aberta só até domingo (29).

SERVIÇO: Museu do Estado do Pará: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Museu da UFPA: Av. Governador José Malcher – esquina com Generalíssimo Deodoro. Entrada franca O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

Diário Contemporâneo realiza Conversa com Mateus Sá

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia realiza nesta terça-feira (24) a conversa “Respirando fotografia”, com Mateus Sá, fotógrafo e artista visual. O encontro com o público será às 19h, no Museu do Estado do Pará, com entrada franca.

Mateus, que participa como convidado da mostra “Interseções, 2010/2014”, também veio realizar a oficina “Fotografia: Vivência de Corpo e Alma”, na qual o seu objetivo é “estimular a percepção da fotografia como narrativa e leitura de mundo”.

Lugar das incertezas. Foto: Mateus Sá

Seus trabalhos carregam tanto uma abordagem documental quanto fictícia, com narrativas não lineares e reconstruções de memórias de infância. “A fotografia como parte integrante da vida. Cotidianamente respirando, conduzindo e sendo conduzido por ela”, afirmou o artista que tem uma relação na qual a imagem se confunde com o seu modo de vida.

Isto pode ser visto na série fotográfica “Lugar das incertezas”, na qual ele volta ao Vale da Lua, litoral sul de Pernambuco, lugar onde se perdeu aos cinco anos de idade. Nas imagens produzidas vê-se um misto de lembranças e imaginação.

 

O ARTISTA

Mateus Sá é fotógrafo e artista visual. Também atua como professor Universitário, produtor cultural, editor de livros e exposições. É cofundador da Escola Livre de Imagem – ELI e do Projeto FotoLibras. É um dos três coordenadores do Pequeno Encontro da Fotografia. Tem quatro livros publicados, cinco exposições individuais e integra a coleção Diário Contemporâneo de Fotografia, em Belém.

 

RETA FINAL

Esta é a última semana de visitação da mostra “Interseções, 2010/2019”, no Museu do Estado do Pará e Museu da UFPA, que segue aberta só até domingo (29).

 

SERVIÇO: Diário Contemporâneo realiza Conversa com Mateus Sá. Data: 24 de setembro, às 19h. Local: Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. Informações: Rua Gaspar Viana, 773 – Reduto. Contatos: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br

Inscrições abertas para curso com Fábio Fonseca de Castro

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia abriu inscrições para o curso “Localismos, globalismos e cosmopolitismos – formas sensíveis da experiência intelectual” que será ministrado pelo professor e pesquisador, Fábio Fonseca de Castro, de 25 a 27 de setembro, das 19 às 22h, na Casa das Artes. As inscrições são gratuitas e serão feitas somente pelo site www.diaricontemporaneo.com.br.

Senegal-Rio. Foto: Felipe Fittipaldi

A ação formativa busca refletir sobre três modelos da experiência social sensível e autoreflexiva: os localismos, os globalismos e os cosmopolitismos e sobre vários entre-modelos de experiência sensível que se produzem no diálogo e no conflito entre eles.

A proposta será discutir esses modelos com base nas ideias de experiência social sensível e de experiência intelectual. Fábio trará diversas questões para os participantes, por exemplo: como esses modelos são acionados na prática da vida intelectual? E da criação artística? E no trabalho da crítica social, política e cultural? E na percepção e no encontro com a alteridade e com a diversidade social e cultural?

Em suas palavras, “embora busquemos trazer exemplos retirados de práticas culturais diversas e havidas em várias sociedades, costuraremos a discussão com referências a experiências de localismo, globalismo e cosmopolitismo passadas na vida intelectual da cidade de Belém, pensando as experiências locais em relação a experiências congêneres descritas em outros locais do mundo. Nesse percurso, serão exploradas as formas sociais potencialmente presentes nos três modelos e através das quais eles se consolidam: as utopias e distopias da identidade e do lugar, a estrangeiridade, a angústia identitária, o medo e o ódio à alteridade, as várias formas do diálogo intercultural, a etnogênese e a denegação”.

FÁBIO FONSECA DE CASTRO 

É professor associado da UFPA, Programa de Pós-graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia – PPGCOM e Faculdade de Comunicação – FACOM. Pós-doutor em Etnometodologia pela Universidade de Montreal (2014). Coordena o Grupo de Pesquisa Socialidades, Intersubjetividades e Sensibilidades Amazônicas –SISA, no CNPq. Atua no campo de investigação das experiências sociais amazônicas, com interesse nas dinâmicas de intersubjetivação, socialidade, sensibilidade, identidades/identificações e autoreflexividade e com apoio de medologias compreensivas, fenomenológicas e hermenêuticas.

SERVIÇO: Inscrições abertas para curso com Fábio Fonseca de Castro. As inscrições são feitas pelo site www.diariocontemporaneo.com.br. Vagas limitadas. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus, do Museu da UFPA e da Casa das Artes; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

Diário Contemporâneo realiza intensa programação neste final de semana

Share This:

Vale Música. Foto: Divulgação

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia promove neste final de semana uma ampla programação em seus museus parceiros dentro da ação do “Verão nos Museus”. No sábado (21), às 10h, o projeto Vale Música se apresentará no Museu do Estado do Pará e, às 18:30h, será a vez de STRR tocar no Museu da UFPA. Já no domingo (22), às 10h, o projeto traz para o MEP os grupos Amazon Crew e Capoeira Brasil. Todas as programações têm entrada franca.

VALE MÚSICA

O projeto tem como objetivo a formação musical de crianças e jovens das Região Metropolitana de Belém que estudam em escola pública ou são bolsistas de escolas particulares. Em 2019, a iniciativa comemora 15 anos de atividades onde já foram beneficiadas 1.100 pessoas. A apresentação deste sábado será do Quinteto de Sopros e Percussão. “A música deste final de semana será instrumental e trará arranjos inovadores em composições já conhecidas pelo grande público. Os jovens que lá se apresentarão são extremamente talentosos e executarão canções em variados instrumentos de sopro e percussão”, explicou Isabel Boulhosa da Fundação Amazônica de Música.

.

STRR

É o trabalho artístico do produtor musical Mateus Estrela. Sua performance ao vivo é feita no formato de Liveset, com controladores e sintetizadores, em que o artista apresenta músicas de sua própria autoria, que vão desde o Deep House Brasileiro até a música eletrônica experimental. “O show tem por volta de 35-40 minutos e todas as músicas que eu vou tocar são minhas. Além das minhas 3 músicas já lançadas, vou tocar o meu primeiro EP na íntegra, que será lançado muito em breve nos streaming. Me apresento no formato ‘liveset’, com um sintetizador analógico e controladores midi. Esse formato me da liberdade de controlar todos os instrumentos separados e fazer loops e improvisos”, disse Mateus.

STRR. Foto: Estúdio Tereza e Aryanne

AMAZON CREW

Fundado em 2008, o grupo já representou o país em mundiais em diversos países como Japão, França, Alemanha, China e Portugal. O show case que será exibido no MEP contará com coreografia, performances em grupos, apresentações individuais e disputa com interação do público presente. “O Amazon Crew, um dos grupos de Breaking mais relevantes da America Latina e referência internacional, fará amostra de breaking e atividades de breaking ‘Call Out’ aberto a todos que queiram participar junto “, convidou Clebiston Nunes da Kapella Produções.

Grupo Amazon Crew. Fotos: Divulgação

GRUPO CAPOEIRA BRASIL

Tem representação nacional e internacional. Supervisionado pelo Mestre Marcão e pelo Professor Márcio Belém, o grupo tem o intuito de difundir a prática cultural e esportiva da capoeira e a valorização da desta como patrimônio cultural da humanidade. “Falaremos um pouco do contexto histórico, origem, significado e a capoeira na atualidade, além de uma demonstração do jogo da capoeira na prática”, contou Marcio Serrão, integrante do grupo.

Grupo Capoeira Brasil. Foto: Divulgação

PROGRAMAÇÃO

  • 21.09, às 10h – Vale Música – Museu do Estado do Pará
  • 21.09, às 18:30h – STRR – Museu da UFPA
  • 22.09, às 10h – Grupos Amazon Crew e Capoeira Brasil – Museu do Estado do Pará

SERVIÇO: Museu do Estado do Pará: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Museu da UFPA: Av. Governador José Malcher – esquina com Generalíssimo Deodoro. Entrada franca O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

MEP recebe rodas de Capoeira e Breaking

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo traz para o Museu do Estado do Pará, neste domingo (22), os grupos Amazon Crew e Capoeira Brasil. A programação terá início às 10h com entrada franca.

Amazon Crew

Fundado em 2008, o Amazon Crew é uma das equipes de breaking dance a mais atuante e relevante no cenário latino americano, tendo representado o mesmo em mundiais em diversos países como Japão, França, Alemanha, China e Portugal. O show case que será exibido no MEP contará com coreografia, performances em grupos, apresentações individuais e disputa com interação do público presente.

O Grupo Capoeira Brasil tem representação nacional e internacional. A capoeira é uma manifestação afro-brasileira que engloba luta, dança e música além variadas possibilidades de desenvolvimento físico, mental e social do praticante.

Grupo Capoeira Brasil

Supervisionado pelo Mestre Marcão e pelo Professor Márcio Belém, o grupo tem o intuito de difundir a prática cultural e esportiva da capoeira e a valorização da desta como patrimônio cultural da humanidade.

SERVIÇO: MEP recebe rodas de Capoeira e Breaking. Data: 22/09, às 10h, no Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

[INSCRIÇÕES ENCERRADAS] Inscrições abertas para oficina com Mateus Sá

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia abriu inscrições para a oficina “Fotografia: Vivência de Corpo e Alma” que será ministrada pelo fotógrafo e artista visual, Mateus Sá, no período de 23 a 25 de setembro, das 09:30 às 12:30h, no Museu da UFPA. As inscrições são gratuitas e seguem abertas até dia 19 (quinta-feira), sendo realizadas somente pelo site www.diaricontemporaneo.com.br.

Autorretrato. Foto: Mateus Sá

A oficina é destinada a artistas, fotógrafos e estudantes da imagem. Ela busca estimular a percepção da fotografia como narrativa e leitura de mundo, tudo isso através de vivências, articulação de referências e análises de trabalhos dos participantes.

Segundo o artista, ela “é estruturada de modo que tenhamos momentos de vivências práticas, reflexão e compartilhamento, atiçados por produções de diversos artistas e fotógrafos, incluindo aqueles que participam da oficina. Exploramos noções de leitura e de concepção de discursos através da fotografia, com dinâmicas de sensibilização do olhar, práticas perceptivas, discussão sobre construção de narrativas e aprofundamento temático”.

Questões como “qual é a sua fotografia?”, “qual a sua relação com as imagens que produz?” e “qual o potencial que as imagens carregam na construção de sua expressão?” serão debatidas com os participantes.

Mateus solicita que, aqueles que já possuem trabalhos prontos ou em andamento, enviassem uma amostra antecipadamente (PDF com 10 imagens), uma vez que serão vivenciados momentos de análise e diálogo sobre esses trabalhos na oficina. Aos selecionados também será indicada a produção de uma imagem específica que deverá ser apresentada no primeiro encontro.

BIOGRAFIA

Fotógrafo e artista visual, Mateus Sá também atua como professor universitário, produtor cultural, editor de livros e exposições.  É cofundador da Escola Livre de Imagem e do Projeto FotoLibras. Suas pesquisas artísticas transitam principalmente pelo universo da memória e pelas relações desarmônicas e harmônicas do ser humano com o meio ambiente. Integra a Coleção Diário Contemporâneo de Fotografia. Coordenou a Semana de Fotografia do Recife, foi um dos coordenadores do Encontro de Fotografia e Educação e, atualmente, é um dos coordenadores do “Pequeno Encontro da Fotografia”.

SERVIÇO: Inscrições abertas para oficina com Mateus Sá. Inscrições até 19 de setembro pelo site www.diariocontemporaneo.com.br. Vagas limitadas. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

As possibilidades do livro em oficina com José Diniz

Share This:

Com informações de Andressa Munhoz

 

Selecionado nesta 10ª edição, o fotógrafo José Diniz ministrou a oficina Experiência: [foto] livro de artista, no Museu da UFPA.

O carioca compartilhou com a turma um pouco sobre suas produções de fotolivros. Seu processo de pesquisa envolve recortes de memórias familiares com momentos de passeios de canoa com o pai e momentos aonde este mesmo cenário, também servia como inspiração para as pinturas que o pai do artista produzia.

O avô paterno do fotógrafo o presenteou com uma pequena câmera e José passou a produzir experimentações na fotografia que incluíam a criação de narrativas  visuais com miniaturas de aviões, submarinos e navios de guerra, temas que até os dias atuais também estão presentes em seu trabalho.

Em termos técnicos, José Diniz aponta que a criação de um livro é como um processo vivo, constante e, até mesmo, diário. Envolve muita pesquisa e muita experimentação, é um processo de aprendizado. Fazer livro é aprender. “Muitas pessoas colocam o livro como uma tarefa. Para mim, não é isso. Para mim, ele é uma experimentação”, disse.

A LIBERDADE DO FAZER

Ele também comentou sobre como as pessoas, às vezes, se prendem ao significado da palavra “livro” e que isso, em determinadas situações, pode se tornar um empecilho para a criatividade. É limitante pensar em uma produção padrão quando, na idealização de fotolivro ou livro de artista, várias possibilidades são possíveis: a forma de encadernação, a organização das imagens, os papeis e texturas usados na impressão, entre outros detalhes.

Pontos para se pensar no processo de formação de um livro de artista:

  • Objeto, tirar partido da mecânica do livro
  • Bidimensionalidade x Tridimensionalidade
  • Cinética, Movimento
  • Agregar materialidade
  • Desafiar leis
  • Alma do artista

PROCESSO E IDENTIDADE

Os fotolivros e livros de artistas produzidos por José Diniz variam entre edições de tiragem única e várias cópias, edições em miniatura e tamanhos ampliados, livros em caixas ou livros em edições de brochura.

Dentro desses materiais, ele varia imagens feitas por diversos tipos de equipamentos, recortes de notas de jornais, cenas retiradas de filmes e imagens de miniaturas de aviões ou barcos em cenários que confundem o leitor em um primeiro olhar. Toda essa forma de organização se dá como uma forma de criar uma narrativa que transita entre memória, realidade e fantasia, os mesmos temas parecem se repetir, mas sempre trazem um novo olhar.

Colocar “a alma do artista” no livro é o que José aponta como o fato de que, mesmo se tratando de um livro com várias tiragens, ele acaba sendo uma produção que visualmente não se assemelha com tantos outros livros impressos por grandes editoras. Isso faz com que cada livro seja diferente, carregando si uma identidade.

“Eu estou aqui para incentivar as pessoas a colocarem o livro como parte do seu processo de trabalho”, finalizou.

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale.

Verão nos Museus: Trio Chamote se apresenta no MEP

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo realiza neste sábado (14) a segunda ação do “Verão nos Museus – Música e Imagem”, no Museu do Estado do Pará. A programação será às 18:30h, com entrada franca.

Trio Chamote. Foto: Mariza Miranda

O projeto recebe desta vez o Trio Chamote. Formado por Silvio Barbosa (flauta), Luisinho Lins (banjo) e Charles Matos (bateria), o grupo mescla ritmos amazônicos ancestrais a timbres e conceitos da música contemporânea. Os artistas buscam, através desse processo, uma nova elaboração para a música da terra, deixando as características tradicionais dos ritmos e sotaques claramente perceptíveis e incorporados a elementos sonoros contemporâneos.

O designer de som Leo Bitar, está fazendo a curadoria musical da programação.

Alberto Bitar é o responsável pela edição de vídeos com as imagens das obras que participaram das exposições destes 10 anos. O resultado será visto na forma de imagens projetadas nas paredes do Museu.

Palmeira, de Janduari Simões, artista convidado da 5ª edição

SERVIÇO: Trio Chamote se apresenta no MEP. Data: 14/09, às 18:30h, no Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

Diário Contemporâneo realiza Conversa com José Diniz

Share This:

Foto: José Diniz

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia realiza nesta sexta-feira (13) uma Conversa com José Diniz, seguida do lançamento do livro “O Céu Vem Abaixo”. O encontro com o público será às 19h, no Museu do Estado do Pará, com entrada franca.

Lançado pela Fotô Editorial, o trabalho articula a linguagem fotográfica a outras narrativas com o intuito de conectar histórias da Segunda Guerra Mundial ao fascínio das lendas marítimas e submarinos.

No livro há um entrecruzamento de fotografias, esculturas, performance e desenhos que constroem uma trama de alta complexidade poética em torno das relações entre uma memória afetiva, documentos históricos e fabulação.

Há múltiplas grafias e imagens que se mesclam no intuito de recriar a atmosfera de uma época traumática da guerra. Por exemplo, desenhos infantis do próprio artista, ou ainda imagens de filmes capturadas na TV, documentos históricos, fac-símiles, mapas, além de fotografias diretas e manipuladas.

Em “O Céu Vem Abaixo”, segundo os editores, “o artista Diniz filia-se a uma linha contemporânea de fotógrafos-narradores que, por meio de uma esmerada experimentação da linguagem, alcançam o estatuto fotográfico de um chamado documental imaginário”.

A obra conta com a edição de Eder Chiodetto, Fabiana Bruno e Walter Costa. O design editorial é de Fabio Messias e a coordenação editorial de Elaine Pessoa. 

O ARTISTA

Nascido em Niterói, José Diniz atualmente mora no Rio de Janeiro. Fez pós-graduação em Fotografia na Universidade Cândido Mendes. Em 2012, foi contemplado pelo prêmio Funarte – Marc Ferrez de fotografia, com o projeto Maresia e a Menção Honrosa no Concurso Fotolivro Iberoamericano – RM Editor Barcelona. Expôs pelo Diário Contemporâneo em 2010, 2011, 2018 e, agora, em 2019.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo realiza Conversa com José Diniz. Data: 13 de setembro, às 19h. Local: Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. Informações: Rua Gaspar Viana, 773 – Reduto. Contatos: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br

Diário Contemporâneo promove sessão de leituras do Jornal de Borda

Share This:

Nesta segunda-feira (09), o Prêmio Diário Contemporâneo realiza “Jornal de Borda – Sessão de leituras”, com Fernanda Grigolin. O encontro será às 18h, no Museu do Estado do Pará, com entrada franca.

Segundo Mariano Klautau Filho, curador do projeto, o “Jornal de Borda é uma publicação de arte, extensão da pesquisa e da prática da artista Fernanda Grigolin e que teve início em 2015. O projeto foi se transformando ao longo dos anos e desde a edição 04 ele traz fragmentos da pesquisa da idealizadora”.

Espaço de ativação do Jornal de Borda. Foto: Irene Almeida

O 10º Diário Contemporâneo conta com uma ativação do Borda. No espaço estão diversas edições, além de um livro e materiais complementares, tudo disposto em uma mesa com bancos em um convite ao público.

Como artista convidada desta edição, Fernanda estará presente no espaço para realizar leituras e discutir sobre os temas tratados na última edição do jornal.

FERNANDA GRIGOLIN – é artista, editora, pesquisadora doutoranda em Artes Visuais na Unicamp. Atualmente finaliza seu doutorado, uma pesquisa interdisciplinar (História, Feminismos, Arte e Impressos) sobre as mulheres anarquistas no Brasil, México e Argentina. Realiza os projetos “Tenda de Livros” e “Jornal de Borda”. Experimentou “Arquivo 17” e segue com a “Mulher do canto esquerdo do quadro”.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo promove sessão de leituras do Jornal de Borda. Data: 09/09, às 18h, no Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.