Verão nos Museus: Trio Chamote se apresenta no MEP

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo realiza neste sábado (14) a segunda ação do “Verão nos Museus – Música e Imagem”, no Museu do Estado do Pará. A programação será às 18:30h, com entrada franca.

Trio Chamote. Foto: Mariza Miranda

O projeto recebe desta vez o Trio Chamote. Formado por Silvio Barbosa (flauta), Luisinho Lins (banjo) e Charles Matos (bateria), o grupo mescla ritmos amazônicos ancestrais a timbres e conceitos da música contemporânea. Os artistas buscam, através desse processo, uma nova elaboração para a música da terra, deixando as características tradicionais dos ritmos e sotaques claramente perceptíveis e incorporados a elementos sonoros contemporâneos.

O designer de som Leo Bitar, está fazendo a curadoria musical da programação.

Alberto Bitar é o responsável pela edição de vídeos com as imagens das obras que participaram das exposições destes 10 anos. O resultado será visto na forma de imagens projetadas nas paredes do Museu.

Palmeira, de Janduari Simões, artista convidado da 5ª edição

SERVIÇO: Trio Chamote se apresenta no MEP. Data: 14/09, às 18:30h, no Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

Diário Contemporâneo realiza Conversa com José Diniz

Share This:

Foto: José Diniz

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia realiza nesta sexta-feira (13) uma Conversa com José Diniz, seguida do lançamento do livro “O Céu Vem Abaixo”. O encontro com o público será às 19h, no Museu do Estado do Pará, com entrada franca.

Lançado pela Fotô Editorial, o trabalho articula a linguagem fotográfica a outras narrativas com o intuito de conectar histórias da Segunda Guerra Mundial ao fascínio das lendas marítimas e submarinos.

No livro há um entrecruzamento de fotografias, esculturas, performance e desenhos que constroem uma trama de alta complexidade poética em torno das relações entre uma memória afetiva, documentos históricos e fabulação.

Há múltiplas grafias e imagens que se mesclam no intuito de recriar a atmosfera de uma época traumática da guerra. Por exemplo, desenhos infantis do próprio artista, ou ainda imagens de filmes capturadas na TV, documentos históricos, fac-símiles, mapas, além de fotografias diretas e manipuladas.

Em “O Céu Vem Abaixo”, segundo os editores, “o artista Diniz filia-se a uma linha contemporânea de fotógrafos-narradores que, por meio de uma esmerada experimentação da linguagem, alcançam o estatuto fotográfico de um chamado documental imaginário”.

A obra conta com a edição de Eder Chiodetto, Fabiana Bruno e Walter Costa. O design editorial é de Fabio Messias e a coordenação editorial de Elaine Pessoa. 

O ARTISTA

Nascido em Niterói, José Diniz atualmente mora no Rio de Janeiro. Fez pós-graduação em Fotografia na Universidade Cândido Mendes. Em 2012, foi contemplado pelo prêmio Funarte – Marc Ferrez de fotografia, com o projeto Maresia e a Menção Honrosa no Concurso Fotolivro Iberoamericano – RM Editor Barcelona. Expôs pelo Diário Contemporâneo em 2010, 2011, 2018 e, agora, em 2019.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo realiza Conversa com José Diniz. Data: 13 de setembro, às 19h. Local: Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. Informações: Rua Gaspar Viana, 773 – Reduto. Contatos: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br

Diário Contemporâneo promove sessão de leituras do Jornal de Borda

Share This:

Nesta segunda-feira (09), o Prêmio Diário Contemporâneo realiza “Jornal de Borda – Sessão de leituras”, com Fernanda Grigolin. O encontro será às 18h, no Museu do Estado do Pará, com entrada franca.

Segundo Mariano Klautau Filho, curador do projeto, o “Jornal de Borda é uma publicação de arte, extensão da pesquisa e da prática da artista Fernanda Grigolin e que teve início em 2015. O projeto foi se transformando ao longo dos anos e desde a edição 04 ele traz fragmentos da pesquisa da idealizadora”.

Espaço de ativação do Jornal de Borda. Foto: Irene Almeida

O 10º Diário Contemporâneo conta com uma ativação do Borda. No espaço estão diversas edições, além de um livro e materiais complementares, tudo disposto em uma mesa com bancos em um convite ao público.

Como artista convidada desta edição, Fernanda estará presente no espaço para realizar leituras e discutir sobre os temas tratados na última edição do jornal.

FERNANDA GRIGOLIN – é artista, editora, pesquisadora doutoranda em Artes Visuais na Unicamp. Atualmente finaliza seu doutorado, uma pesquisa interdisciplinar (História, Feminismos, Arte e Impressos) sobre as mulheres anarquistas no Brasil, México e Argentina. Realiza os projetos “Tenda de Livros” e “Jornal de Borda”. Experimentou “Arquivo 17” e segue com a “Mulher do canto esquerdo do quadro”.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo promove sessão de leituras do Jornal de Borda. Data: 09/09, às 18h, no Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

[INSCRIÇÕES ENCERRADAS] Inscrições abertas para oficina com José Diniz

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia abriu inscrições para a oficina “Experiência: [foto] livro de artista” que será ministrada pelo fotógrafo José Diniz, no período de 12 a 14 de setembro, das 09 às 12h, no Museu da UFPA. As inscrições são gratuitas e serão feitas somente pelo site www.diaricontemporaneo.com.br.

O livro é um espaço onde o artista tem a possibilidade de expressar suas ideias, experimentações, reflexões e formas visuais baseadas no contexto dos seus projetos.

Foto: José Diniz

Segundo José, a oficina “tem como objetivo demonstrar práticas e caminhos para a produção do livro de artista tendo como base a sua própria experiência. Durante o curso também serão apresentados alguns conceitos e experiências de alguns artistas mundo afora”.

Na ação formativa alunos terão a oportunidade de ouvir sobre vários projetos desenvolvidos pelo artista e as respectivas soluções tendo o livro como produto final.

José Diniz integra a mostra “Interseções, 2010/2019” com “Travessia”, trabalho fruto de uma visita à região em que Guimarães Rosa descreve a desafiadora e difícil travessia do Liso do Sussuarão no seu livro Grande Sertão: Veredas. Um espaço físico e simbólico da travessia da vida. O ensaio é parte do projeto Sertão Cerrado.

O ARTISTA

Nascido em Niterói, José Diniz atualmente mora no Rio de Janeiro. Fez pós-graduação em Fotografia na Universidade Cândido Mendes. Em 2012, foi contemplado pelo prêmio Funarte – Marc Ferrez de fotografia, com o projeto Maresia e a Menção Honrosa no Concurso Fotolivro Iberoamericano – RM Editor Barcelona. Expôs pelo Diário Contemporâneo em 2010, 2011, 2018 e, agora, em 2019.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo inscreve para oficina com José Diniz. As inscrições são feitas pelo site www.diariocontemporaneo.com.br. Vagas limitadas. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

Diário Contemporâneo realiza “Verão nos Museus – Música e Imagem”

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo realiza no mês de setembro uma programação especial. “Verão nos Museus – Música e Imagem” irá misturar as linguagens no Museu do Estado do Pará. A estreia será no domingo (08), às 11h, com entrada franca.

Empalamento. Foto: Marcílio Costa

Através do convite da curadoria do projeto, o designer de som Leo Bitar, está fazendo a curadoria musical da programação que contará com o show da Banda Marapuama neste primeiro encontro.

Alberto Bitar ficou encarregado da edição de vídeos que irá trazer as imagens das obras que integram a Coleção Diário Contemporâneo de Fotografia. O público terá a oportunidade de conferir as imagens projetadas nas paredes do Museu, uma forma ainda não explorada pelo projeto.

Banda Marapuama. Foto: Gabriel Darwich

O duo instrumental Marapuama é composto por Thiago Pires (guitarra) e Emannuel Penna (bateria). Eles trabalham uma forma de composição com improviso e referências de estilos como orquestra, jazz, além de música paraense. O projeto musical da dupla é recente e foi lançado neste ano.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo realiza “Verão nos Museus – Música e Imagem”. Data: 08/09, às 11h, no Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

Diário Contemporâneo promove roda de conversa sobre mulheres anarquistas

Share This:

Detalhe da capa do Jornal de Borda #06

No dia 07 de setembro, dia da Independência do Brasil, o Prêmio Diário Contemporâneo realiza a roda de conversa “Mulheres Anarquistas das primeiras décadas de 1900: o que elas nos ensinam em seus escritos e contribuem para a luta anarcofeminista atual”, com Fernanda Grigolin e Samanta Colhado. O encontro será às 18h, no Museu do Estado do Pará, com entrada franca e mediação de Val Sampaio.

Através do convite da curadoria do projeto, a artista e editora Fernanda Grigolin participa desta 10ª edição com uma ativação do Jornal de Borda, jornal feminista. “O Borda está no limite do que seria um jornal: utiliza-se do formato, da rapidez e do texto curto, mas sem o caráter noticioso. É um trabalho de ativismo e arte”, explica.

E é a partir do Borda que se dará a roda de conversa. Segundo elas, “emancipação da mulher, amor livre e amor plural, maternidade livre, antifascismo, antiautoritarismo, liberdade como uma questão social eram alguns dos temas que as mulheres anarquistas discutiam no século passado no Brasil e em outros países da nossa região, bem como na Europa”.

As pesquisadoras explicam que essas mulheres “não se diziam feministas pois o feminismo da época era liberal e burguês e as mulheres anarquistas acreditavam que a emancipação da mulher era um feito social e não era separada da emancipação humana, pois homens e mulheres eram explorados em uma sociedade capitalista”. Assim, “elas publicaram textos, coordenaram jornais, eram oradoras em eventos públicas, muitas foram presas. As mulheres anarquistas anteciparam muitas pautas que só hoje em dia o feminismo passou a discutir”.

O bate-papo com a historiadora, Samanta Colhado, e a artista e editora, Fernanda Grigolin, será um encontro a partir das pesquisas sobre mulheres anarquistas e também das reverberações das histórias dessas mulheres do passado no anarcofeminismo atual e na luta antifascista.

___

FERNANDA GRIGOLIN – artista, editora, pesquisadora doutoranda em Artes Visuais na Unicamp. Atualmente finaliza seu doutorado, uma pesquisa interdisciplinar (História, Feminismos, Arte e Impressos) sobre as mulheres anarquistas no Brasil, México e Argentina. Realiza os projetos “Tenda de Livros” e “Jornal de Borda”. Experimentou “Arquivo 17” e segue com a “Mulher do canto esquerdo do quadro”.

SAMANTA COLHADO – licenciada, bacharel e mestre em História pela Unesp – Franca/SP. Professora da rede municipal de ensino de São Paulo e tutora em cursos de graduação e pós-graduação no Claretiano – Centro Universitário. Defendeu a dissertação de mestrado “As mulheres anarquistas na cidade de São Paulo (1889-1930)” e possui artigos publicados em livro e em periódicos sobre anarquismo, mulheres anarquistas e anarcossindicalismo.

NO DOMINGO

No dia seguinte (08), às 11h, também no Museu do Estado do Pará, o Diário Contemporâneo realizará o “Verão nos Museus – Música e Imagem”, com show da Banda Marapuama e projeção de imagens das obras da Coleção Diário Contemporâneo. A coordenação musical é de Leo Bitar e a edição de vídeos é de Alberto Bitar. A programação terá entrada franca.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo promove roda de conversa sobre mulheres anarquistas. Data: 07/09, às 18h, no Museu do Estado do Pará. Endereço: Praça D. Pedro II, s/n. – Cidade Velha. Entrada franca. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

Diário Contemporâneo divulga selecionados para curso com Tadeu Chiarelli

Share This:

O Pintor, Paulo Pasta, 1987

“Práticas curatoriais: fotografia e imagem fotográfica em exposição” será ministrado pelo curador e crítico, Tadeu Chiarelli.

O curso será constituído de quatro encontros em que Tadeu apresentará reflexões em torno de exposições e textos que produziu a partir de questões relativas ao uso da fotografia e da imagem fotográfica por parte de alguns artistas brasileiros.

Confira a lista dos selecionados:

  • Adan Bruno Costa da Silva
  • Ademilton Azevedo de Arruda Júnior
  • Alberto Bitar
  • Alberto da Silva Amaral
  • Ana Carolina Reis Farias
  • André Luis Lima Parente
  • Beatriz Rodrigues Rosas
  • Camila Ferreira Araujo Freire
  • Carolina Venturini Passos
  • Ceci Leal Bandeira
  • Debora Suely do Espírito Santo Souza
  • Deia do Socorro Pinheiro Lima
  • Ednaldo Nunes Britto
  • Elissuam do Nascimento Barros de Souza
  • Evna Mara Moura Gutierrez
  • Felipe Pamplona
  • Flávia Suanny Santana de Souza
  • Geraldo Teixeira
  • Glauce Patrícia da Silva Santos
  • Guido Couceiro Elias
  • Guy Benchimol de Veloso
  • Heldilene Guerreiro Reale
  • Ionaldo Rodrigues da Silva Filho
  • Iza Girard
  • Janice Shirley Souza Lima
  • Jean Ribeiro
  • Jessica Calandrine Vasques
  • João Polaro
  • John Fletcher Couston Junior
  • Joyce Dias Nabiça
  • Jorge Eiró
  • Juliana Padilha de Sousa
  • Karina da Silva Martins
  • Kely Roberia Teixeira da Silva
  • Keyla Cristina Tikka Sobral
  • Lilia Silvestre Chaves
  • Lucas da Silva Negrão
  • Luiz Leonardo Leão Modesto
  • Maria Madalena Felinto
  • Makiko Akao
  • Marcelo Kalif de Sousa
  • Marcia Cristina Pinho Gomes
  • Marcio Lins de Carvalho
  • Marisa de Oliveira Mokarzel
  • Marise Maués Gomes
  • Maurício Igor Neves
  • Mayara Louiza Amancio da Silva Lima
  • Melissa Barbery
  • Nilson Corrêa Damasceno
  • Nina Matos
  • Octavio Silva Cardoso
  • Otavio Henriques Nascimento Nepomucena
  • Pablo Mufarrej
  • Paloma Silva da Costa
  • Paula Daniela Alves
  • Paula Fernanda Giordano do Couto
  • Raphael da Luz Melo
  • Raimundo Paccó
  • Ronney Alano P. dos Reis
  • Samara de Oliveira Lima
  • Silvana Alfaia
  • Silvia Raquel de Souza Pantoja
  • Tayanne Peres Barbosa
  • Ubiraelcio da Silva Malheiros
  • Úrsula Celeste Tavares Bahia de Jesus
  • Valzeli Figueira Sampaio
  • Vânia Leal Machado
  • Yvana Cavalcante

 O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus, do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale.

[INSCRIÇÕES ENCERRADAS] Diário Contemporâneo abre inscrições para curso com Tadeu Chiarelli

Share This:

O Pintor, Paulo Pasta, 1987

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia abriu inscrições para o curso “Práticas curatoriais: fotografia e imagem fotográfica em exposição” que será ministrado pelo curador e crítico, Tadeu Chiarelli, de 27 a 30 de agosto, das 19 às 22h, na Casa das Artes. As inscrições são gratuitas e serão feitas somente pelo no site www.diariocontemporaneo.com.br. Os critérios de seleção são: formação nas áreas de Artes Visuais ou História da Arte considerando também áreas afins; minibio e carta de intenções com, no máximo, dez linhas cada. As vagas são limitadas.

O curso será constituído de quatro encontros em que Tadeu apresentará reflexões em torno de exposições e textos que produziu a partir de questões relativas ao uso da fotografia e da imagem fotográfica por parte de alguns artistas brasileiros.

Segundo o professor, “a proposta será, junto com o público, pensar a presença das tecnologias de reprodução de imagens na produção artística brasileira, do século XX até a atualidade”.

O objetivo é formar um panorama crítico de alguns dos caminhos percorridos pelo pesquisador durante as últimas décadas, “possibilitando ao público entrar em contato com questões inerentes ao processo curatorial, sempre amalgamando tal prática a questões de ordem crítica e histórica”.

 

 

TADEU CHIARELLI

Curador e crítico de arte. É professor titular no curso de Artes Visuais da USP. Foi diretor da Pinacoteca de São Paulo e do Museu de Arte Contemporânea da USP (MAC-USP). Também já atuou como curador-chefe do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP). Em 2011, foi membro da comissão de seleção do 2º Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia

SERVIÇO: Diário Contemporâneo inscreve para oficina curso com Tadeu Chiarelli. As inscrições são feitas pelo site www.diariocontemporaneo.com.br. Vagas limitadas. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus, do Museu da UFPA e da Casa das Artes; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

O Som da Imagem em oficina de Claudia Tavares

Share This:

Com informações de Andressa Munhoz

Logo na sequência da semana de abertura das mostras da 10ª edição, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia realizou a oficina “O Som da Imagem”, ministrada pela artista carioca, Claudia Tavares, que foi selecionada neste ano. A ação formativa ocorreu nos dias 12 e 13 de agosto, no Museu da UFPA.

A oficina parte como uma proposta de se pensar numa organização para projeções de imagens que saia do padrão e tradicional slide de fotos com música ao fundo.

Frame do vídeo “Mãe Gentil”, de Claudia Tavares, selecionada nesta edição

O uso do som com importância igual à da imagem vem para potencializar a composição no total, pensando em não usar apenas músicas em si, mas ruídos, narração e/ou sons ambiente. Essa experiência possibilita criar uma atmosfera em que os vídeos passam a ser algo próximo de um filme (longa-metragem) não pelo tempo, mas por todas as sensações que eles despertam.

A oficina teve entre os participantes professores e acadêmicos de artes, teatro, música, filosofia, entre outros. A partir de exercícios propostos por Claudia, os alunos puderam conhecer obras de outros artistas que também usam como suporte o som e a imagem (ou o contrário), como por exemplo Marcos Bonisso em “A Imagem do Som”. A partir dessa obra foi feito um exercício que consistia em ouvir determinadas músicas escolhidas por Marcos e pensar em que imagem aquilo poderia remeter. O interessante nesse exercício foi perceber o quanto o local aonde cada pessoa vive reflete na sua forma de interpretar uma música, os relatos das pessoas dentro da sala aproximaram-se entre si, mas foram completamente diferentes das imagens registradas pelo fotógrafo.

“Letras de música nos dão imagem muito mais do que pequenos sons, ruídos, mas também é possível consegui-las a partir deles”, observou Claudia.

Para o segundo dia, os alunos trouxeram suas produções para que os outros participantes pudessem conversar sobre. Algo comentado foi que é importante não se prender as ideias de videoclipes ou vídeos de publicidade. “As imagens podem ficar estáticas por algum tempo”, disse a facilitadora.

Assim, é fundamental pensar que o artista vê as mesmas imagens inúmeras vezes por conta dos processos, mas as pessoas que vão se deparar com aquela obra ainda não passaram por essa experiência. “Porque a pessoa que produziu aquela imagem já está habituada a aquele material, mas o telespectador não”, afirmou. Então, é importante permitir que elas possam observar essas imagens com mais calma.

Como o controle sobre o tempo de exibição de cada imagem é feito pelo próprio artista é interessante brincar com o que cada pessoa vai ver e por quanto tempo vai ver. “O tempo de um fade out é como se fosse o tempo de uma respiração”, finalizou.

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale.

Diário Contemporâneo realiza palestra sobre colecionismo

Share This:

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia realiza nesta semana a palestra “Quanto impacta o colecionismo, o mercado, as galerias de arte e as políticas de Estado na carreira de artistas?”, que será apresentada por Nei Vargas da Rosa, fruto da sua pesquisa de doutorado em Artes Visuais no PPGAV/UFRGS. O encontro com o público será no dia 14, quarta-feira, às 19h, no Museu da UFPA, com entrada franca.

Segundo Nei, “o sistema da arte tem sofrido inúmeras alterações em sua lógica interna de desenvolvimento nas últimas décadas, apresentando atores antigos que renovam suas formas de atuação e práticas obsoletas são substituídas por novas estratégias que reorientam a produção, a circulação, a legitimação e o consumo da produção das artes visuais. O Estado, com suas políticas públicas, reorganiza e interfere no funcionamento e nas especificidades do mercado de arte”.

Amazônia, de Rodrigo Correia, premiado nesta edição.

O pesquisador irá analisar como que ficam os artistas dentro deste cenário marcado por um ambiente de hierarquias, interesses e disputas nem sempre artísticas. Além de observar questões como políticas públicas, mercado da arte e colecionismo.

.

COLEÇÃO DIÁRIO CONTEMPORÂNEO DE FOTOGRAFIA

O Diário Contemporâneo formalizou, em 2016, a coleção de fotografias que vinha reunindo desde a sua primeira edição. São trabalhos em fotografia, vídeo, instalação e outras linguagens; aproximadamente 160 obras de mais de 40 artistas. Belém recebeu, através da ação do projeto, uma coleção de fotografia contemporânea que está sob a guarda das duas instituições públicas parceiras: o Espaço Cultural Casa das Onze Janelas e o Museu da UFPA.

A ação do Diário Contemporâneo, no sentido da formação de acervo, vai ao encontro das questões que serão debatidas a partir de pesquisas conduzidas por Nei. São elas: “Institucionalização de coleções privadas de arte contemporânea no Brasil”, na qual ele analisa a passagem do contexto privado para o público/privado de coleções de arte contemporânea; e “Perspectivas do Colecionismo de Arte Contemporânea”, inédita em âmbito nacional, onde ele faz uma imersão no procedimento colecionista de arte contemporânea, incluindo entrevistas com colecionadores de 17 estados do país.

.

NEI VARGAS DA ROSA

Doutorando em Artes Visuais no PPGAV/UFRGS, com pesquisa sobre a institucionalização de coleções privadas de arte contemporânea. Em paralelo, conduz a pesquisa Perspectivas do Colecionismo de Arte Contemporânea no Brasil, com Bolsa Pesquisador do Instituto de Cultura Contemporânea. Curador do ciclo de debates Dinâmicas do Colecionismo de Arte Contemporânea, na A Casa do Parque/SP. Organizou o dossiê Sistema da Arte no Brasil da Revista Ouvirouver/UFU. Compõe a Comissão Organizadora do Simpósio Internacional de Relações Sistêmicas da Arte. É associado ao The Internacional Art Market Association, pelo subcomitê Mercado de Arte e Colecionismo: Portugal, Espanha e Brasil.

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale.

.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo realiza palestra com Nei Vargas da Rosa. Data: 14 de agosto, às 19h. Local: Museu da UFPA. Endereço: Av. Governador José Malcher – esquina com Generalíssimo Deodoro. Entrada franca. Informações: Rua Gaspar Viana, 773 – Reduto. Contatos: (91) 3184-9310; 98367-2400; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br