Visitação escolar têm opção de agendamento prévio

Share This:

Intitulada “Leituras conscientes, nas entrelinhas do Brasil”, a ação educativa deste ano atua nas exposições da 10º edição, que têm visitação aberta até setembro no Museu do Estado do Pará e Museu da UFPA. Os professores que queiram levar as suas turmas podem solicitar o agendamento das visitas pelo site www.diariocontemporaneo.com.br ou nos telefones 4009- 8695 e 98146-2506, de segunda a sexta, no horário de 10 às 15h. As solicitações estão sujeitas à disponibilidade de agenda. Após o cadastramento de informações no site, todos os pedidos serão respondidos por email ou telefone.

Visitação escolar. Foto: Irene Almeida

Qualquer grupo que se organize pode realizar um agendamento prévio da sua visita. Além disso, todo e qualquer visitante também encontra suporte na equipe de mediadores.

A ação educativa é de grande necessidade dentro da democratização cultural. E é de suma importância para o projeto a formação do olhar crítico a partir da arte.

Anualmente, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia tem um cuidado na hora de formar a sua equipe de educadores, pois são eles que recebem os mais diversos públicos nos espaços dos museus. Com coordenação de Dairi Paixão, a equipe é constituída por estudantes universitários de diversas áreas. Eles participaram de um minicurso com dinâmicas de encontro, leituras sobre arte-educação em espaços culturais e mediação cultural, além do conhecimento das obras e artistas desta edição. Antes de terem a oportunidade de colocar o público em diálogo com os trabalhos, “eles foram convidados a inventar as suas próprias narrativas de mediação e refletir sobre o lugar da mediadora e do mediador nessa interlocução com os diversos públicos”, explicou Dairi.

A ação educativa tem compromisso com a formação de cidadãos de pensamento crítico, abertos ao diálogo, diversidade e colaboração. Temáticas contemporâneas debatidas na formação de mediadores “trouxeram, à luz da consciência, a reflexão sobre os temas que estão nas entrelinhas do país, além dos atravessamentos proporcionados pelas imagens e trabalhos selecionados. Tudo isso para conhecer as histórias que não são contadas e questionar um imaginário prévio diante de questões como feminicídio, racismo, territórios, identidade e Amazônia, por exemplo”, acrescentou.

Foi a partir desses questionamentos que foram preparadas as propostas educativas para a composição do tabloide anual do projeto. Este material servirá de suporte durante as visitas e acompanhará os professores na volta a sala de aula.

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale.

Arte e educação em debate no minicurso de formação do educativo

Share This:

Antes de abrir suas exposições, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia dedica um tempo no seu calendário para formar a sua equipe de mediadores culturais. São eles que receberão os mais diversos públicos no Museu do Estado do Pará e Museu da UFPA. Este ano, a ação formativa ocorreu nos últimos dias 18, 19 e 20 de julho, no Museu da UFPA.

Com a coordenação de Dairi Paixão, a ação educativa desta edição é intitulada “Leituras conscientes, nas entrelinhas do Brasil”. Conversas com a artista Ceci Bandeira, selecionada nesta edição; com o curador do projeto e leituras coletivas foram destaques da programação.

Turma do minicurso de formação de mediadores culturais. Foto: Irene Almeida

 

Durante os encontros, os participantes leram textos como o Arte para uma cidade sensível, de Brígida Campbell, no qual a artista fala sobre arte, retomada e ressignificação do espaço urbano. Imagem, reprodução e mensagem. Na contemporaneidade, as cidades estão cheias de imagens que querem se comunicar a todo o momento. “O que você vê no seu caminho?”, “O que a cidade apresenta a você?”, “Como você dialoga com a cidade?”, “Quais são essas imagens?”, foram algumas das indagações trazidas por Dairi. “Os grupos que a gente recebe são de pessoas que já vêm contaminadas por um excesso de imagens. Então, é pensar como a nossa palavra pode ajudar eles a encontrarem caminhos naquilo que já está posto”, acrescentou.

O artista Lucas Negrão foi mediador cultural na 7ª edição do projeto e decidiu atuar novamente neste ano. “Eu disse para mim mesmo que eu precisava ter essa experiência de novo, porque ela é muito intensa”, afirmou.

Os trabalhos que integrarão as mostras da 10ª edição foram debatidos pelos participantes. O mediador cultural é muito importante para a democratização da arte, pois ele realiza um papel de escuta e provocação.

Mariano Klautau Filho, curador do projeto, conversa com os participantes. Foto: Irene Almeida

A arte traz vários questionamentos e um novo encontro com o curador do projeto será marcado para quando as mostras já estiverem montadas pois, segundo Mariano Klautau Filho, “às vezes, quando os trabalhos já estão prontos, um aciona uma coisa no outro e eles entram em um diálogo que nós nem sequer tínhamos pensado”.

Ao final, uma avaliação coletiva do processo foi realizada. “Eu encaro isso aqui como um grupo de estudos sobre mediação cultural. Acho isso muito bom do Prêmio ter este espaço para pensar a importância da mediação e fico muito preocupada em como pode ter gente produzindo arte sem pensar no lugar do educativo”, observou Dairi. “Em poucos lugares a gente consegue ter essa abertura para falar de assuntos tão tocantes”, finalizou Fernanda da Vera Cruz, participante do minicurso.

O PROJETO

Em 2019, o Diário Contemporâneo comemora uma década de atuação. Ele se tornou um dos grandes editais de competição do país, além de consolidar o Pará como um espaço de criação e reflexão em artes.

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do Jornal Diário do Pará com apoio institucional do Museu do Estado do Pará, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale.

Diário Contemporâneo convoca mediadores culturais

Share This:

Em 2010, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia comemora 10 anos de atuação e convoca os interessados em desenvolver um trabalho em arte-educação. “Leituras conscientes, nas entrelinhas do Brasil” é a proposta da ação educativa que está com inscrições abertas até o dia 13 de julho para a seleção de mediador cultural. O público-alvo são alunos universitários de artes visuais, museologia e áreas afins. As inscrições podem ser feitas pelo site www.diariocontemporaneo.com.br.

Mediadores culturais atuando durante a visitação escolar 2018. Foto: Irene Almeida

Os mediadores culturais atuam diariamente nos espaços dos museus recebendo o público visitante e o colocando em diálogo com as obras. Após as inscrições e entrevistas presenciais, os inscritos selecionados participarão de um minicurso de formação. Segundo Dairi Paixão, coordenadora da ação educativa desta edição, “a proposta irá se desenvolver em quatro encontros com o objetivo de refletir, questionar e acessar outros olhares por meio das imagens que fazem parte do X Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia para, com a subjetividade do outro, encontrar as múltiplas identidades diante de tantos Brasis”.

Ela explica que “de ordem prática, as ações de formação propõem dinâmicas de encontro, leituras sobre arte-educação em espaços culturais e mediação cultural, conhecimento das obras selecionadas. Além disso, os participantes serão convidados a inventar as suas próprias narrativas de mediação e refletir sobre o lugar da mediadora e do mediador na interlocução das obras com os diversos públicos”.

Após o minicurso serão selecionados os mediadores que irão atuar no projeto pelos próximos meses. A ação educativa é de grande necessidade dentro da democratização cultural. O Diário Contemporâneo atinge diversos públicos, sendo de suma importância para o projeto a formação do olhar crítico a partir da arte.

Dairi ainda conta que “a proposta de formação segue uma reflexão pessoal a partir de diversas experiências que tive como mediadora de espaços culturais em Belém, onde aprendi sobre a potência do encontro como proposta de mediação. Do mesmo modo, acredito que existe uma potência da arte-educação guiada pelos afetos. O objetivo dessa formação é trazer à luz da consciência, a reflexão sobre os temas que estão nas entrelinhas do país e os atravessamentos proporcionados pelas imagens e trabalhos selecionados. Para conhecer as histórias que não são contadas e questionar um imaginário prévio diante de questões como feminicídio, racismo, territórios, identidade e Amazônia, por exemplo”, finalizou.

CRONOGRAMA
Inscrições: até 13 de julho
Entrevistas: 16 de julho, das 10h às 17h
Datas do minicurso: dias 18 e 19 de julho, das 14h às 18h e dia 20, das 09h às 14h.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo convoca mediadores culturais. As inscrições podem ser feitas pelo site www.diariocontemporaneo.com.br até 13 de julho. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará com apoio institucional do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus e do Museu da UFPA; colaboração da Sol Informática, parceria da Alubar e patrocínio da Vale. Informações: Rua Gaspar Viana, 773 – Reduto. Contatos: (91) 3184-9310; 98367-2468; diariocontemporaneodfotografia@gmail.com.