Diário Contemporaneo encerrará 7ª edição com grande programação

Share This:

Por: Debb Cabral

As mostras da 7ª edição do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia seguem abertas até dia 19 de junho, mas antes disso uma intensa programação formativa irá ocorrer. “Poéticas, fotografia e museus” contará com palestras sobre os museus e rodas de conversas com Guy Veloso, Janduari Simões, Jorane Castro, Miguel Chikaoka, Alexandre Sequeira, Veronique Isabelle, Ana Mokarzel, Walda Marques, Octavio Cardoso, Pedro Cunha, Rosangela Britto, Marisa Mokarzel, Mariano Klautau Filho, Ionaldo Rodrigues, Wagner Almeida, Jorge Eiró e Geraldo Teixeira. A programação que contará também com o lançamento da publicação “Fotografia Contemporânea Amazônica – Seminário 3×3”, de Sávio Stoco, artista e pesquisador de Manaus, terá início no dia 07 de junho, às 19h, no Museu da UFPA, com a palestra “Velho ou antigo?”, de Jussara Derenji  e se encerrará no domingo (12), no Espaço Cultural Casa das Onze Janelas. A entrada é franca e a agenda completa pode ser encontrada no site www.diariocontemporaneo.com.br.

Nas rodas de conversa, os artistas de Belém que integram a Coleção de Fotografias do projeto falarão sobre seus trabalhos e o público poderá conhecer mais sobre as suas trajetórias. Eles mesmos estarão em contato, compartilhando suas experiências e aprendizados de seus anos de atuação na fotografia e nas artes visuais.

Sávio Stoco. Foto: Divulgação
Sávio Stoco. Foto: Divulgação

LANÇAMENTO DE LIVRO

Além dos encontros, o Diário Contemporâneo traz para Belém o artista Sávio Stoco para lançar a publicação “Fotografia Contemporânea Amazônica – Seminário 3×3”, premiada na 11ª edição do Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais. O projeto fomentou debates sobre as artes visuais através do intercâmbio entre os estados amazônicos em seminários realizados entre agosto e setembro de 2015 em Boa Vista, Belém e Manaus. O livro conta com os textos baseados nas falas de Luciana Magno, Alexandre Sequeira, Rodrigo Braga, Sávio Stoco, Anderson Paiva, Alex Pazuello, Anderson Paiva, Cristóvão Coutinho, Raphael Alves, Mariano Klautau Filho e Orlando Maneschy, participantes dos seminários. As particularidades de cada localidade e da produção de cada artista são destaques nesse livro que estará disponível nas formas impressa e virtual, deixando preservadas as memórias e as reflexões, além de servir de referência futura aos pesquisadores da área. A distribuição será gratuita.

A COLEÇÃO DE FOTOGRAFIAS

Em 2016 o Diário Contemporâneo apresentou ao público a coleção de fotografia contemporânea que vem construindo desde o início do projeto ainda em 2010. Ela conta com trabalhos de artistas de todas as regiões do país e em diferentes suportes e linguagens. São trabalhos de Carlos Dadoorian (SP), Luiz Braga (PA), Coletivo Garapa (SP), Ilana Lichtenstein (SP), Lívia Aquino (SP), Lucas Gouvêa (PA), Daniela Alves e Rafael Adorjan (DF e RJ), Emídio Contente (PA), Wagner Almeida (PA), Marcio Marques (SP), Renan Teles (SP), Ricardo Hantzschel (SP), Alex Oliveira (BA), Diego Bresani (DF), Yukie Hori (SP), Francilins Castilho Leal (MG), Ivan Padovani (SP), Ionaldo Rodrigues (PA), Rafael D’Alò (RJ), Randolpho Lamonier (MG), Pedro Clash (SP), Daniela de Moraes (SP), Dirceu Maués (PA), Felipe Ferreira (RJ), Guy Veloso (PA), Júlia Milward (RJ), Marco A. F. (RS), Marise Maués (PA), Marcílio Costa (PA), Pedro Cunha (CE), Tom Lisboa (PR), Tuca Vieira (SP), Véronique Isabelle (Canadá), Alberto Bitar (PA), Ana Mokarzel (PA), Janduari Simões (BA), Jorane Castro (PA), Miguel Chikaoka (SP), Octavio Cardoso (PA), Roberta Carvalho (PA), Walda Marques (PA), José Diniz (RJ), Mateus Sá (PE) e Péricles Mendes (BA).

Como não houve edital, foi realizada então a maior programação formativa da história do projeto, com nomes como Dirceu Maués, Fernanda Grigolin, Gui Mohallem, Eugênio Sávio e Walda Marques nas oficinas, além dos encontros com os artistas.

Confira e compartilhe a programação completa:

flyer_fundo_branco NOVO MENOR

Diário Contemporâneo abre exposições em edição histórica

Share This:

Por: Debb Cabral

As noites de 14 e 15 de abril marcaram o lançamento oficial da Coleção Diário Contemporâneo de Fotografia. Na ocasião ainda foi apresentada a mostra especial que também se divide entre o Museu da UFPA e o Espaço Cultural Casa das Onze Janelas. Segundo Mariano Klautau Filho, curador do projeto, apesar de ocorrer na época de comemoração dos 400 anos da cidade, “nós não queríamos transformar uma exposição sobre Belém em algo romantizado e equivocado. Nós estamos em uma cidade potente, uma cidade importante, mas que está repleta de problemas de manutenção, de memória urbana e de cidadania. Então, nossa ideia para esta exposição foi chamar pessoas que estão atuando e pensando essa cidade”, explicou.

Belem.Pará.Brasil. CIDADE. Abertura do VII Premio Diario de Fotografia, na Casa das 11 Janelas. 14/04/2016. FOTOS: jader Paes. Diario do Pará
Foto: Jader Paes/Diário do Pará

O Espaço Cultural Casa das Onze Janelas é o museu de arte contemporânea de Belém, um espaço democrático e já consolidado no cenário artístico nacional. Mariano o destacou como ponto de convergência entre a produção local e a nacional. Ele é o lar de outras coleções de arte contemporânea, as quais a Coleção Diário Contemporâneo de Fotografia se junta. “A Coleção só existe porque há, em Belém, espaços sedimentados de produção e debate artístico”, afirmou.

O Museu da UFPA foi a primeira casa a receber o projeto ainda em 2010, só no ano seguinte o Espaço Cultural Casa das Onze Janelas se juntaria na parceria. Segundo Jussara Derenji, diretora do MUFPA, “formar uma coleção, em dois museus contemporâneos, é um testemunho importantíssimo do nosso tempo. Tempo este que não é tempo muito agradável e não é um tempo de muitas certezas, mas sim um tempo de desencontros. Esta coleção vai permanecer exatamente como testemunho deste tempo que nós estamos vivendo”, disse.

Jussara lembrou da iniciativa de Assis Chateaubriand ao formar a “Coleção Brasiliana”, de grande importância por reunir obras que contam a história da arte brasileira. Essa iniciativa serviu como referência para diversos museus formarem coleções assim. “Na importância eu tenho certeza de que nós teremos, com o Diário Contemporâneo, algo muito similar ao que ele pensou e que conseguiu. Essa coleção honra todos nós e vai ser o nosso testemunho para o futuro”, finalizou.

VISITAÇÃO

A exposição “Coleção Diário Contemporâneo de Fotografia”, que traz os trabalhos que integram a coleção de fotografias do projeto é vista, em 2016, pela primeira vez formando um conjunto constituído oficialmente. As obras ficam sob a guarda do Museu da UFPA e do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas. Além disso, os dois espaços recebem a mostra especial “Belém: Ressacas, Heranças”, com trabalhos de fotógrafos atuantes no Pará. A entrada é franca e a visitação segue até dia 19 de junho.

SERVIÇO: O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio da Vale, apoio institucional do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 98367-2468; contato@diariocontemporaneo.com.br, premiodiario@gmail.com e www.diariocontemporaneo.com.br.

Diário Contemporâneo abre exposições nos dias 14 e 15 de abril

Share This:

Por: Debb Cabral

Após muito trabalho e organização sistemática, a exposição “VII Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia”, que traz os trabalhos que integram a Coleção de Fotografias do projeto será vista pela primeira vez em um conjunto constituído oficialmente. A abertura está marcada para o dia 14 de abril, às 19h, no Espaço Cultural Casa das 11 Janelas. No dia seguinte, também às 19h, o Museu da UFPA inaugurará a segunda parte da mostra com as obras sobre a sua guarda. Além disso, os dois espaços receberão a mostra especial “Belém: Ressacas, Heranças”, com trabalhos de fotógrafos atuantes no Pará. A entrada é franca.

Morar (Coletivo Garapa)
Morar (Coletivo Garapa)

Desde o início da sua atuação, o Diário Contemporâneo sempre buscou ser mais que um prêmio. Tanto que em 2016 ele teve seu edital suspenso para que pudesse se dedicar a formalizar a coleção de fotografias que vinha reunindo desde a sua primeira edição. São trabalhos em fotografia, vídeo, instalação e outras linguagens produzidos por 44 artistas de todas as regiões do pais. Belém recebe, através da ação do projeto, uma coleção de fotografia contemporânea que está sob a guarda das duas instituições públicas parceiras: o Espaço Cultural Casa das 11 Janelas e o Museu da UFPA.

Sem título, da série Lugares Imaginários (Octavio Cardoso)
Sem título, da série Lugares Imaginários (Octavio Cardoso)

Serão vistos trabalhos de Carlos Dadoorian (SP), Luiz Braga (PA), Coletivo Garapa (SP), Ilana Lichtenstein (SP), Lívia Aquino (SP), Lucas Gouvêa (PA), Daniela Alves e Rafael Adorjan (DF e RJ), Emídio Contente (PA), Wagner Almeida (PA), Marcio Marques (SP), Renan Teles (SP), Ricardo Hantzschel (SP), Alex Oliveira (BA), Diego Bresani (DF), Yukie Hori (SP), Francilins Castilho Leal (MG), Ivan Padovani (SP), Ionaldo Rodrigues (PA), Rafael D’Alò (RJ), Randolpho Lamonier (MG), Pedro Clash (SP), Daniela de Moraes (SP), Dirceu Maués (PA), Felipe Ferreira (RJ), Guy Veloso (PA), Júlia Milward (RJ), Marco A. F. (RS), Marise Maués (PA), Marcílio Costa (PA), Pedro Cunha (CE), Tom Lisboa (PR), Tuca Vieira (SP), Véronique Isabelle (Canadá), Alberto Bitar (PA), Ana Mokarzel (PA), Janduari Simões (BA), Jorane Castro (PA), Miguel Chikaoka (SP), Octavio Cardoso (PA), Roberta Carvalho (PA), Walda Marques (PA), José Diniz (RJ), Mateus Sá (PE) e Péricles Mendes (BA).

>> Confirme presença no evento AQUI

A mostra especial desta edição, intitulada “Belém: Ressaca, Heranças” terá, segundo Mariano Klautau Filho, curador do projeto, “a cidade e seu espaço urbano como objeto de reflexão em um momento histórico em que completa seus 400 anos. A proposta da curadoria aos artistas participantes foi pensar a cidade criticamente tendo como referência a estrutura física e simbólica de alguns de seus patrimônios arquitetônicos em processo de transformação”. Trabalhos de Alexandre Sequeira, Ana Mokarzel, Coletivo CêsBixo, Luiz Braga, Martin Perez, Paula Sampaio, Walda Marques e Wagner Almeida apresentarão um olhar crítico sobre a cidade na mostra que também se dividirá entre ambos os espaços expositivos.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo abre exposições. Datas: 14 e 15 de abril de 2016. Horário: 19h. Locais: Espaço Cultural Casa das Onze Janelas (Praça Frei Caetano Brandão s/n – Cidade Velha) e Museu da UFPA (Av. Governador José Malcher (esquina com Generalíssimo Deodoro). Entrada franca. Visitação até 19 de junho. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio da Vale, apoio institucional do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 98367-2468; contato@diariocontemporaneo.com.br, premiodiario@gmail.com e http://www.diariocontemporaneo.com.br.

Abertas as inscrições para oficina com Fernanda Grigolin

Share This:

Por: Debb Cabral

A pesquisa e o trabalho de aproximação entre a fotografia e o livro tem destacado Fernanda Grigolin no meio das artes visuais. Pensando nisso, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia tem em sua programação a oficina “A fotografia no livro em três ações: produzir, editar e circular”, com a artista curitibana que vive entre Campinas e São Paulo. A ação formativa ocorrerá no período de 21 a 24 de abril, das 09 às 13h, no Museu da UFPA. O público-alvo são os artistas e fotógrafos que tenham um projeto de publicação. As inscrições, que são gratuitas, seguem abertas até dia 14 de abril e serão feitas via ficha de inscrição disponível no site www.diariocontemporaneo.com.br. As vagas são limitadas.

Livro recôncavo - Foto: Fernanda Grigolin
Livro recôncavo – Foto: Fernanda Grigolin

A oficina será de acompanhamento de projetos de livros com ênfase em fotografia. Serão quatro encontros, divididos entre exposição teórica e acompanhamento dos projetos individuais em livros dos participantes.

Segundo Fernanda, “as ações de produzir, editar e circular integram a produção do livro, sendo ele uma ferramenta de expressão”. Assim, cada participante será motivado a trazer um trabalho individual e apresentá-lo coletivamente.

A oficina contará, ainda, com uma imersão pratica de criação de livros durante os encontros. “O livro é uma mídia, tem na sua essência a multiplicidade e a potência da circulação. A fotografia também possui, entre suas características, a multiplicidade e a distribuição. E, por isso, a abordagem da oficina tem como característica falar dos elementos gráficos e projetos que tenham na sua essencial a vontade da tiragem de um alcance em larga em escala”, ressaltou.

Com metodologia participativa, a ação formativa seguirá os seguintes pontos fundamentais:  apresentação teórica sobre o livro e a fotografia e suas relações históricas; apresentação da pesquisa de mestrado de Fernanda Grigolin e suas referências teóricas; exibição e discussão sobre livros de fotografia contemporâneos e seus respectivos autores e apresentação dos trabalhos individuais dos participantes.

Após a oficina, será doado ao Museu da UFPA, a custo simbólico, um conjunto de livros de artista e livros sobre fotografia para formação da biblioteca do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia, que está sendo construída sob a consultoria da fotógrafa.

A ARTISTA

Fernanda Grigolin é artista visual, editora e pesquisadora. Por dez anos foi ativista de movimentos sociais no Brasil e na América Latina. Possui especialização em Direitos Humanos (USP) e é mestra em artes visuais na UNICAMP. É idealizadora da Tenda de Livros e do Jornal de Borda, uma publicação semestral de arte, com projeto gráfico de Lila Botter. O Jornal de Borda conta com a colaboração de artistas, editores, curadores e pesquisadores. Cada edição gira em torno de um tema: na primeira, foi sobre o ato de editar e a segunda abordou a circulação da arte. A terceira, em preparação, será sobre feminismos.  Borda está no limite do que seria um jornal, utiliza-se do formato, da rapidez e do texto curto, mas sem o caráter noticioso.

Um dos mais recentes projetos de Fernanda é “recôncavo”, um livro de artista que parte do fotográfico para construir um lugar.  O recôncavo pode ser um antro, um buraco, uma cova, uma região geográfica delimitada ou nosso próprio corpo. Entre as imagens, há a única foto que Fernanda possui com seu pai. O livro “recôncavo” foi vencedor do edital de livro de artista do Programa de Ação Cultural da Secretaria da Cultura de São Paulo, em 2014.

SERVIÇO: Abertas as inscrições para oficina com Fernanda Grigolin. As inscrições são feitas pelo site www.diariocontemporaneo.com.br até 14 de abril. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio da Vale, apoio institucional da Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002, 98367-2468, premiodiario@gmail.com e contato@diariocontemporaneo.com.br.

Edição de 2016 será lançada nesta terça

Share This:

Por: Debb Cabral

A edição de 2016 do Diário Contemporâneo tem como destaque a constituição oficial da Coleção Diário Contemporâneo de Fotografia. O lançamento ocorre no dia 02 de fevereiro (terça-feira), às 19h, no Museu da UFPA.

Banner 2016

A política de acervo pensada desde a concepção, foi ampliada a partir de 2012, passando a se desenvolver de modo sistemático. O Museu da UFPA e o Espaço Cultural Casa das 11 Janelas, parceiros do projeto, recebem obras de artistas convidados e premiados, respectivamente. Além disso, outros artistas que participaram do Prêmio ao longo de sua existência também doaram obras. Em 2016 o público poderá ver o resultado do processo de unificação desse conjunto de trabalhos sob a guarda das instituições parceiras.

Entre os fotógrafos paraenses que integram a Coleção, podemos destacar alguns nomes como Luiz Braga, Emídio Contente, Wagner Almeida, Ionaldo Rodrigues e Ana Mokarzel. E já no âmbito nacional, artistas como Tuca Vieira, Pedro Clash, Mateus Sá, Renan Teles e Ivan Padovani são alguns dos 46 fotógrafos que possuem obras no acervo.

Confirme presença no evento AQUI.

Criado em 2010, o Diário Contemporâneo chega a sua 7ª edição em 2016. A cada ano um tema foi escolhido, exceto em 2015, cuja temática livre foi permitida. Nesta edição será visto algo totalmente novo.

O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é um projeto nacional, que em seus anos de atuação contribuiu para a consolidação do Pará como lugar de reflexão e criação em artes, além de proporcionar o diálogo entre a produção local e nacional.

SERVIÇO: Diário Contemporâneo lança edição de 2016. Data: 02 de fevereiro de 2016. Horário: 19h. Local:Museu da UFPA (Av. Governador José Malcher (esquina com Generalíssimo Deodoro). Entrada franca. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio da Vale, apoio institucional da Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 98367-2468; contato@diariocontemporaneo.com.brpremiodiario@gmail.com .

Edição de 2016 será lançada em fevereiro

Share This:

capa evento lançamento

Em 2016 o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia realiza sua 7ª edição. O projeto nacional que incentiva a cultura, a arte e a linguagem fotográfica em toda a sua diversidade, contará com uma extensa programação de palestras, encontros com artistas, oficinas e atividades educativas com as escolas.

O lançamento da edição de 2016  está marcado para o dia 02 de fevereiro, às 19h, no Museu da Universidade Federal do Pará – MUFPA. Após essa data o público encontrará no site www.diariocontemporaneo.com.br mais detalhes sobre a edição.